Jornal do Commercio
argentina

Juíza nega TV a cabo para detentos assistirem Copa do Mundo

Por meio de uma carta, o grupo havia reivindicado um habeas corpus, afirmando ser um ''direito indispensável'' ter TV a cabo para assistir à Copa da Rússia

Publicado em 14/06/2018, às 07h40

As autoridades consideraram que a apelação é
As autoridades consideraram que a apelação é "compreensível" se a solicitação for diferente
Foto: Reprodução
JC Online

Após um grupo de presos, presidio de Chubut, na Argentina, declararem por meio de uma carta que começariam uma greve de fome enquanto não tivessem acesso à televisão para assistir a Copa, a juíza Patricia Ásaro negou nessa quarta-feira (13), o pedido feito pelos detentos, considerando que não é urgente e nem os coloca em risco de vida. Segundo o jornal Olé, o grupo havia reivindicado um habeas corpus, afirmando ser um "direito indispensável" ter TV a cabo para assistir à Copa da Rússia.

Consequentemente, as autoridades consideraram que a apelação é "compreensível" se a solicitação for diferente, como condições precárias de detenção, problemas com a qualidade e distribuição de alimentos ou atendimento médico.

A juíza teria sido contundente, onde comunicou em uma nota a sua resolução: "Não sendo um motivo de habeas corpus, o que é pedido não tem lugar".



Os presos apresentaram um habeas corpus baseado na lei 23.098, que permite que os presos na Argentina reivindiquem direitos e denunciem irregularidades por parte das autoridades.

Relembre a história

O grupo começou uma greve de fome, enquanto não tivessem acesso à televisão por cabo. Os presos alegaram que essa seria a única forma assistir a Copa do Mundo da Rússia. "É um direito indispensável para qualquer pessoa que esteja privada da liberdade", diz um trecho da carta enviada às autoridades, na qual chega a ser sugerida a apresentação de um ‘habeas corpus’ para solucionar mais rapidamente a questão.

 

  

De acordo com o jornal Olé, o sinal da televisão dos presos caiu há alguns dias e gerou protestos. A carta foi enviada para direção do presídio e o único pedido é o retorno da programação do futebol. Caso contrário, eles não aceitarão as refeições entregues pelo sistema prisional.


Recomendados para você


Comentários

Por Nando,14/06/2018

Eita que preso na Argentina estão aprendendo com os presos aqui do Brasil a reivindicar aquilo que não tem direito, pq se querem ter direito a algo é só respeitar o ser humano no dia a dia, pois esses elementos pratica o terror e ainda querem ter mordomia na prisão, eles acha que estão no Brasil.

Por VALDEMIR,14/06/2018

Para mim, só existe bandido no PT. Nos outros partidos todos são santos e dignos como eu sou. Eu sou do bem. Não tenho culpa, não votei no PT, votei no outro.

Por Valdemir,14/06/2018

Só na América latina bandido reivindica mordomia. Acho que o PT faria muito sucesso por lá !



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM