Jornal do Commercio
Itália

Rechaço ao anúncio de greve por contratação de CR7

Português fechou com a Juventus por quatro anos

Publicado em 12/07/2018, às 22h18

Melhor do Mundo deixou o Real Madrid / AFP
Melhor do Mundo deixou o Real Madrid
AFP
AFP

O anúncio de dois dias de greve na fábrica da Fiat em Melfi (sul da Itália) para protestar contra a contratação de Cristiano Ronaldo, o CR7, pela Juventus, por parte da União Sindical de Base (USB), foi rechaçado e criticado nesta quinta-feira (12) por importantes organizações do setor.

Fiat e Juve compartilham o mesmo acionista de referência, a família Agnelli, histórica dinastia da indústria automotiva italiana, o que indignou o sindicato minoritário USB.

"É inaceitável que, enquanto a direção da FCA (Fiat Chrysler) segue exigindo grandes sacrifícios ao seus trabalhadores, a mesma administração decida gastar centenas de milhões de euros para a aquisição de um jogador de futebol", protestou a organização em comunicado. 

A decisão desse sindicato teve muito impacto midiático a nível internacional, mas foi rechaçada pelas maiores organizações do setor, entre elas CGIL-Fiom, que "não vai responder a esse chamado de greve", indicaram à AFP.



A USB tenta atrair a atenção com "uma operação de propaganda fácil", segundo um observador próximo ao movimento sindical da Itália. "Trata-se de pura propaganda, se desviam dos verdadeiros problemas dos trabalhadores. Pedimos respeito", protestou em uma nota conjunta Fim, Uilm, Fismic e Uglm, que reúne boa parte dos funcionários e que está negociando uma nova estratégia industrial para a fábrica automotiva. 

"A contratação de Ronaldo não diz respeito aos direitos dos trabalhadores nem ao da Fiat, já que FCA e Juventus são sociedades completamente diferentes", detalhou Gianluca Ficco, secretário nacional Uilm. 

A estrela do Real Madrid assinou um contrato por quatro anos com a Juventus por mais de 100 milhões de euros. O astro português deverá chegar na segunda-feira a Turim para um exame médico e a apresentação oficial. A chegada do cinco vezes vencedor da Bola de Ouro a Turim deve multiplicar a renda da Juventus, que tem capital na Bolsa, assim como de todo o futebol italiano.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vidas Compartilhadas Vidas Compartilhadas
O JC apresenta o mundo da doação e dos transplantes de órgãos pelas vozes de pessoas que ensinam, mesmo diante das adversidades, a recomeçar a vida quantas vezes for preciso.
JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM