Jornal do Commercio
futebol feminino

Para Ketlen, prioridade é o título da Copa do Brasil

Candidata a goleadora da competição nacional, a atacante do Vitória prefere a taça

Publicado em 25/04/2013, às 20h27

Aline Sobreira

A campanha arrebatadora do Acadêmica Vitória na Copa do Brasil de Futebol Feminino 2013 tem uma peça-chave. A atacante Ketlen Wiggers, autora de sete gols na competição, está disputando, além do título inédito para o time pernambucano, a artilharia do campeonato. A única jogadora que pode alcançar a marca da tricolor é Giovania Campos, com seis tentos, avançada do São José-SP, rival da equipe estadual nas finais e atual campeão do torneio.

Além de ser uma referência na área, a catarinense se tornou uma heroína na equipe. Isso porque, na partida de volta das semifinais contra o Centro Olímpico-SP, disputada no estádio Pacaembu, a artilheira marcou o gol da classificação do Tricolor das Tabocas, aos 37 minutos do segundo tempo - o jogo em Vitória do Santo Antão havia terminado em um empate por 1x1. “Para mim, foi o gol mais importante que marquei nesta edição da Copa do Brasil”, contou.

Caçula de uma família de três filhos, Ketlen aprendeu a jogar futebol com os dois irmãos mais velhos. Aos 8 anos, ingressou em uma escolinha de futebol de bairro. Aos 15, após realizar uma peneira, foi chamada para integrar o elenco do Santos, defendendo-o por quatro anos. Hoje, aos 21 anos, Ketlen, que foi convocada algumas vezes para a seleção brasileira principal e sub-20, vive uma boa fase da carreira no Tricolor das Tabocas. “Ao longo desses dois anos, fui me dando bem com a cultura e comida da região. Estou adaptada à cidade”, comentou a artilheira. “Em cada clube, vivi momentos valiosos. Mas tenho muito carinho pelo Vitória, que sempre me deu muito apoio.” 



Com um sotaque diferente, loira e de olhos claros, Ketlen se diverte com os vários apelidos que tem na cidade. “As meninas já me deram vários nomes durante esses anos. O mais carinhoso é Teté. Mas quando eu ando na rua, me chamam de Branquela, Galega e o principal, Barbie”, brincou. 

Apesar da descontração, quando o assunto é artilharia e título da Copa do Brasil, Ketlen é bem incisiva. “Antes de tudo, o objetivo é ser campeã com o grupo. A artilharia é consequência, mas é claro que ficaria feliz”, explicou a catarinense, que vai disputar o posto com a principal atacante do São José-SP, Giovania, que também atuou algumas vezes na seleção nacional. “Ainda não tive contato com ela pessoalmente. No entanto, as minhas companheiras adiantaram que ela é uma ótima jogadora e que sempre que recebe a bola, coloca no fundo das redes.”

Treinando forte para o jogo de ida contra o time paulista, que será realizado em Vitória de Santo Antão, no estádio Carneirão, neste sábado (27/4), às 10h, a atacante ressaltou a tranquilidade do time estadual, comandado por Caio Couto. “Sabemos que a partida será muito difícil, visto os resultados e o talento do São José. A ansiedade, que é normal, vem logo antes do jogo”, admitiu a potencial goleadora do campeonato. “Independente de quem faça o gol, quero conquistar o título do torneio para o Vitória”, finalizou.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM