Jornal do Commercio
América

Carlinhos Bala e o reencontro com a Ilha do Retiro

Atacante campeão da Copa do Brasil de 2008 voltará ao estádio rubro-negro após quatro anos.

Publicado em 03/02/2016, às 07h35

"Tenho carinho pela torcida do Sport, assim como tenho pelas outras duas (Santa e Náutico). Sempre fui bem recebido lá, mas vamos ver como vai ser. Estou curioso", disse o atacante.
Foto: JC Imagem
Haim Ferreira

Um dos principais personagens da conquista da Copa do Brasil de 2008 pelo Sport, o atacante Carlinhos Bala, hoje, no América, terá uma noite de nostalgias na Ilha do Retiro. Sem pisar no estádio rubro-negro desde a final do Campeonato Pernambucano de 2012, quando vestia a camisa do Santa Cruz, o baixinho não escondeu a expectativa para o reencontro com os leoninos.

“Fiz história no clube, mas a gente sabe como é a cabeça do torcedor. Tanto faz aplaudir, como vaiar. Tenho carinho pela torcida do Sport, assim como tenho pelas outras duas (Santa e Náutico). Sempre fui bem recebido lá, mas vamos ver como vai ser. Estou curioso”, afirmou o atacante.



Segundo o jogador de 36 anos, que atuou em três partidas neste Pernambucano e marcou apenas um gol pelo alviverde, ele não sabe se comemorará um possível gol contra o seu ex-clube.

“É complicado. Acho que vai depender muito do momento do jogo. Não sou de prometer gols. Só vendo na hora”, desconversou.

Apesar de não se posicionar, Carlinhos Bala afirmou saber das dificuldades que o Periquito encontrará nesta noite. “Agora, o nível é diferente do primeiro turno. Eu tenho passado para o elenco que é muito difícil, mas que podemos vencer. Mas a gente sabe que não é assim. Chegar no meio da Ilha do Retiro e ganhar. Vai ser preciso ter determinação e muita força de vontade”, finalizou. 

O América fará sua estreia neste 2º turno. 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM