Jornal do Commercio
Confusão no clássico

Vídeo mostra desespero de torcedores do Santa Cruz no momento da confusão

Nas imagens percebe-se que entre os torcedores muitos tentam se ajudar e pedir por cuidados médicos

Publicado em 08/03/2018, às 08h33

Torcedores tentaram entrar no gramado para receber atendimento; na confusão, PM lançou spray de pimenta
 / Foto: Reprodução
Torcedores tentaram entrar no gramado para receber atendimento; na confusão, PM lançou spray de pimenta
Foto: Reprodução
JC Online

A noite da última quarta-feira (7) tinha tudo para ser de alegria e comemoração no Clássico das Multidões. Na partida entre Sport e Santa Cruz, na Ilha do Retiro, diversos torcedores tricolores se feriram após a comemoração do único gol da Cobra Coral. Em um vídeo divulgado nas redes sociais, percebe-se o empurra-empurra no momento da confusão. Entre os torcedores, muitos tentam se ajudar e pedir por cuidados médicos. 

Tudo começou quando um torcedor na arquibancada do Santa tentou acender um sinalizador, o que gerou uma grande confusão. No mesmo instante, a Polícia Militar tentou coibir o ato e acabou provocando muito corre-corre, torcedores seriamente machucados ao descer os degraus das arquibancadas. Alguns torcedores estavam com a fratura exposta. 

Queixas da torcida

"A gente estava comemorando o gol do Santa Cruz, aí os policiais começaram a empurrar a torcida. Parecia uma avalanche, todo mundo caindo, um em cima do outro.A torcida não teve culpa, foram os policiais que fizeram isso. Pessoas com fraturas, um homem teve uma convulsão atrás da outra, isso é uma injustiça", disse o torcedor Jonas dos Santos, de 28 anos, sentado em uma cadeira de rodas e com o joelho esquerdo enfaixado enquanto esperava atendimento. Ele ainda se queixou de dores no tornozelo direito.

"A gente teve que esperar muito lá (no estádio) pelo atendimento. Depois do gol do Santa Cruz, houve a comemoração e o Choque (Batalhão da PM) empurrou o pessoal lá de cima, aí ficou uma em cima do outro. Infelizmente é assim todo clássico, a tendência é só terminar assim", lamentou um tricolor que não quis se identificar . Ele procurou atendimento para a namorada que sofreu fratura no braço.

Para saber a versão da Polícia Militar, a reportagem do Jornal do Commercio procurou a assessoria da PM, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

Confusão após a partida

A saída das torcidas do jogo entre Sport e Santa Cruz foi um reflexo da confusão que começou durante a partida. Os arredores da Ilha do Retiro e as proximidades se transforam em palcos de muita correria e destruição. A Polícia Militar teve muito trabalho para conter os leoninos e corais.

Do lado rubro-negro, torcedores aglomerados na saída da arquibancada da sede arremessaram pedras em direção a delegacia móvel e quebraram as viaturas da Polícia Militar. Os agentes revidaram com tiros de bala de borracha e spray de pimenta. Ninguém foi detido.

 

  

O pós-jogo dos tricolores não foi diferente e teve muita confusão. Aglomerados, torcedores exaltados danificaram os portões da saída do estádio. A Polícia Militar precisou entrar em ação para conter e utilizou balas de borracha.



O JOGO

Ainda sem convencer na temporada, Sport e Santa Cruz entraram em campo com a responsabilidade de protagonizarem um futebol mais vistoso ou, ao menos, mais competitivo. Algo que ambas as equipes não apresentaram em 2018. Porém, no início do Clássico das Multidões, somente os rubro-negros procuraram tomar a iniciativa do jogo. É verdade que de forma atabalhoada. O suficiente para encurralar os tricolores em seu campo defensivo.

O volume imposto pelos donos da casa não era produtivo e os passes errados incomodavam Nelsinho Baptista, que aos 23 minutos perdeu a cabeça com Índio e sacou o prata da casa para colocar Thomás. A mudança surtiu efeito e com menos de dois minutos em campo, o meia já balançava a rede coral. O camisa 20 recebeu pela direita, cortou de letra Paulo Henrique e chutou de canhota no ângulo de Machowski. Um golaço: 1x0.

O Santa Cruz não demonstrava capacidade para incomodar a defesa leonina e permanecia acuado. O Sport, por sua vez, perdia chances de ampliar o placar. Neto Moura, em cobrança de falta, e Raul Prata em chute raspando a trave, estiveram próximo de balançar a rede tricolor. Quando parecia que a Cobra Coral não iria mostrar o seu veneno na primeira etapa: eis o bote. Aos 40 minutos, em rápido contra-ataque, Héricles partiu pra cima da zaga rubro-negra e direção à área, mas ao invés do chute, ele deu um lindo calcanhar achando Fabinho Alves sozinho entrando na cara de Magrão e finalizando com tranquilidade para empatar a partida: 1x1.

Após o gol de empate, um torcedor tricolor acendeu um sinalizador nas arquibancadas, o que gerou uma grande confusão. A Polícia Militar tentou coibir o ato e acabou provocando muito corre-corre, torcedores seriamente machucados ao descer os degraus das arquibancadas - alguns com fratura exposta.

O tumulto fora das quatro linhas acabou afetando o rendimento em campo. O clássico esfriou bastante e as duas equipes não produziram jogadas perigosas. O Sport só assustou Machowski em cobrança de falta, aos três minutos. Já o Santa seguia adotando uma postura reativa - postada em seu campo defensivo e buscando sair em velocidade. Sem produtividade em campo, a partida permaneceu com o placar inalterado até o apito final.

Ficha do jogo

SPORT

Magrão; Raul Prata, Ronaldo Alves, Léo Ortiz e Sander; Pedro Castro, Neto Moura, Marlone e Gabriel; Índio (Thomás) e Leandro Pereira (Mikael). Técnico: Nelsinho Baptista.

SANTA CRUZ

Tiago Machoski; Vitor, Augusto Silva, Genílson e Paulo Henrique; Jorginho (Leandro Salino), Luiz Otávio, Daniel Sobralense (Jeremias); Fabinho Alves (Geovane), Robinho e Héricles. Técnico: Júnior Rocha.

Local: Ilha do Retiro.
Árbitro: Péricles Bassols Cortez.
Assistentes: Ricardo Chianca e Clóvis Amaral.
Gols: Thomás, aos 26 minutos, e Fabinho Alves, aos 40 minutos, do 1º tempo.
Cartões amarelos: Ronaldo Alves (SPO) e Jeremias (SAN).
Público: 13.218.
Renda: 216.095,00.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM