Jornal do Commercio
LIGUE 1

Com gol, provocação e carinho de Neymar, PSG mantém 100%

Neymar respondeu às provocações em comemoração e retribuiu o carinho de um garoto torcedor, na vitória do PSG por 4 a 2

Publicado em 01/09/2018, às 16h18

Neymar marcou um dos gols na partida e respondeu provocações com gesto de choro / Foto: Pascal GUYOT / AFP
Neymar marcou um dos gols na partida e respondeu provocações com gesto de choro
Foto: Pascal GUYOT / AFP
JC Online
Com Agência Estadão

Atual campeão e líder da Ligue 1, o Paris Saint-Germain visitou sábado o Nîmes e conseguiu manter os 100% de aproveitamento no Campeonato Francês, apesar do bom desempenho do adversário. Neymar voltou a marcar e o time da capital abriu 2 a 0 no primeiro tempo, mas cedeu o empate e só garantiu o triunfo por 4 a 2 já nos minutos finais, com gols de Mbappé e Cavani.

O jogo teve um sabor ainda mais forte pra Neymar. Criticado pela torcida rival, que levou cartazes com o apelido de 'chorão' contra o astro brasileiro. Em resposta, o camisa 10 do PSG marcou um dos gols na vitória e comemorou fazendo gesto de choro em frente a um dos cartazes. Ao final da partida, Neymar foi abraçado por uma criança que invadiu o campo para encontrar o craque. Como retribuição, acabou recebendo a camisa e atenção do atacante.

O resultado manteve o PSG na liderança da tabela, agora com 12 pontos após quatro rodadas - o Dijon pode igualar a marca ainda neste sábado. Na próxima rodada, dia 14, a equipe recebe o Saint-Étienne. Já o Nîmes parou nos seis pontos, em quinto, e visita o Bordeaux também no dia 14.

O JOGO

Desde o primeiro minuto, o Nîmes mostrou que daria trabalho. Com uma forte marcação, o time da casa inibiu as chegadas do PSG na primeira meia hora de jogo. Mas bastou uma escapada pela direita, em bela tabela, para que Meunier ficasse livre para cruzar. Neymar chegou de carrinho e mandou para a rede.

O gol empolgou o PSG e abalou o Nîmes. E quando os adversários ainda se reencontravam em campo, os visitantes chegaram ao segundo, um golaço. Aos 39 minutos, Di María cobrou escanteio pela direita com muita curva. O goleiro Bernardoni até tentou voltar, mas viu a bola morrer na rede.



Com o placar construído, o PSG relaxou no segundo tempo e permitiu a reação do Nîmes. O primeiro dos donos da casa saiu aos 17 minutos, quando Bobichon recebeu na meia-lua e, mesmo com pouco espaço, deu belo toque para acertar o ângulo esquerdo de Areola.

O Nîmes não se deu por satisfeito, seguiu em cima e chegou ao empate seis minutos depois. Após cruzamento da direita, Thiago Silva errou ao tentar afastar a bola e acertou Valls. Inicialmente, o árbitro não marcou pênalti, mas, alertado pelo VAR, revisou o lance e assinalou. Savanier cobrou com força e balançou a rede.

A virada quase veio três minutos mais tarde, quando Marquinhos não conseguiu afastar o cruzamento, Valls ficou com a sobra e acertou o travessão. Aos 31, foi a vez de Ripart tentar de fora da área e exigir grande defesa de Areola.

Mas na sequência do lance, falou mais alto a qualidade do PSG. Kimpembe roubou a bola na defesa, avançou e deu lançamento preciso para Mbappé, que dominou com estilo e fuzilou para o gol O Nîmes ainda bem que tentou, mas já não tinha pernas para buscar uma nova reação.

O time da casa ainda viu Cavani selar o placar aos 47, quando recebeu sozinho na área e teve apenas o trabalho de tirar do goleiro. Na saída de bola, Mbappé se irritou com Savanier após sofrer falta, o empurrou e acabou expulso. O jogador do Nîmes também recebeu o cartão vermelho no lance.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM