Jornal do Commercio
SELEÇÃO ALEMÃ

Löw deveria ter deixado o cargo após fiasco na Copa, afirma Ballack

Campeã na Copa de 2014, a seleção alemã foi eliminada ainda na fase de grupos em 2018

Publicado em 11/10/2018, às 15h51

Löw foi criticado na Rússia por ter apostado demasiadamente na velha guarda da seleção alemã / Foto: AFP
Löw foi criticado na Rússia por ter apostado demasiadamente na velha guarda da seleção alemã
Foto: AFP
AFP

O ex-capitão da seleção alemã Michael Ballack afirmou que o técnico Joachim Löw deveria ter deixado o cargo de técnico da Alemanha após o fiasco na Copa do Mundo da Rússia, algo que nenhuma grande personalidade do futebol do país se atreveu a dizer abertamente.

"Como outros, me surpreendi que tenha ficado no cargo", declarou nesta quinta-feira (11) o ex-jogador de 42 anos em entrevista à emissora de televisão Deutsche Welle.

"Ele está na equipe há tempo e às vezes é preciso admitir que as coisas não funcionam", declarou o ex-jogador.

A Alemanha foi eliminada na fase de grupos da Copa do Mundo da Rússia, mas Löw, no cargo de 2006, foi mantido como técnico até a Copa do Catar-2022. No sábado, a Alemanha viaja a Amsterdã para enfrentar a Holanda pela Liga das Nações. Na terça-feira, será a vez de encarar a França em Paris.

Löw foi criticado na Rússia por ter apostado demasiadamente na velha guarda da seleção alemã e não ter dado oportunidade suficiente aos jogadores da nova geração.

"Não é anormal que um técnico que ganhou a Copa do Mundo dê confiança aos jogadores com os quais teve êxito", reconheceu Ballack, "mas ele é responsável por isso e deveria ser suficientemente profissional" para assumir as consequências do fracasso.



O meia da Alemanha Toni Kroos, questionado nesta quinta-feira sobre as palavras de Ballack, defendeu o técnico: "Estou convencido de que vamos nos recuperar com Löw. Ele provou durante muitos anos que sempre está disposto a evoluir".

O técnico "absolutamente mereceu uma nova oportunidade", insistiu Kroos, um dos principais líderes do elenco da seleção alemã.

Federação alemã

Ballack também criticou a Federação Alemã por sua passividade após a campanha na Rússia: "A Copa foi uma grande decepção e há motivos para explicar isso. Vocês precisam analisar isso corretamente. Não é suficiente dizer que 'vamos analisar tudo', quando já tomaram a decisão de manter o técnico. Não é uma verdadeira análise".

Ballack teve relacionamento difícil com Löw quando foi capitão da seleção, entre 2004 e 2010. O técnico acabou não o convocado para a Copa do Mundo da África do Sul-2010, competição em que a Alemanha terminou na terceira colocação.



OFERTAS

Especiais JC

Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.
Mãe Guerreira Mãe Guerreira
Junto com uma criança, nasce sempre uma mãe, que enfrenta inúmeros desafios para educar, acolher e dar o melhor aos filhos. Por isso, todas elas carregam em si a força e a coragem de verdadeiras guerreiras.
JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM