Jornal do Commercio
SELEÇÃO ALEMÃ

Löw deveria ter deixado o cargo após fiasco na Copa, afirma Ballack

Campeã na Copa de 2014, a seleção alemã foi eliminada ainda na fase de grupos em 2018

Publicado em 11/10/2018, às 15h51

Löw foi criticado na Rússia por ter apostado demasiadamente na velha guarda da seleção alemã / Foto: AFP
Löw foi criticado na Rússia por ter apostado demasiadamente na velha guarda da seleção alemã
Foto: AFP
AFP

O ex-capitão da seleção alemã Michael Ballack afirmou que o técnico Joachim Löw deveria ter deixado o cargo de técnico da Alemanha após o fiasco na Copa do Mundo da Rússia, algo que nenhuma grande personalidade do futebol do país se atreveu a dizer abertamente.

"Como outros, me surpreendi que tenha ficado no cargo", declarou nesta quinta-feira (11) o ex-jogador de 42 anos em entrevista à emissora de televisão Deutsche Welle.

"Ele está na equipe há tempo e às vezes é preciso admitir que as coisas não funcionam", declarou o ex-jogador.

A Alemanha foi eliminada na fase de grupos da Copa do Mundo da Rússia, mas Löw, no cargo de 2006, foi mantido como técnico até a Copa do Catar-2022. No sábado, a Alemanha viaja a Amsterdã para enfrentar a Holanda pela Liga das Nações. Na terça-feira, será a vez de encarar a França em Paris.

Löw foi criticado na Rússia por ter apostado demasiadamente na velha guarda da seleção alemã e não ter dado oportunidade suficiente aos jogadores da nova geração.

"Não é anormal que um técnico que ganhou a Copa do Mundo dê confiança aos jogadores com os quais teve êxito", reconheceu Ballack, "mas ele é responsável por isso e deveria ser suficientemente profissional" para assumir as consequências do fracasso.



O meia da Alemanha Toni Kroos, questionado nesta quinta-feira sobre as palavras de Ballack, defendeu o técnico: "Estou convencido de que vamos nos recuperar com Löw. Ele provou durante muitos anos que sempre está disposto a evoluir".

O técnico "absolutamente mereceu uma nova oportunidade", insistiu Kroos, um dos principais líderes do elenco da seleção alemã.

Federação alemã

Ballack também criticou a Federação Alemã por sua passividade após a campanha na Rússia: "A Copa foi uma grande decepção e há motivos para explicar isso. Vocês precisam analisar isso corretamente. Não é suficiente dizer que 'vamos analisar tudo', quando já tomaram a decisão de manter o técnico. Não é uma verdadeira análise".

Ballack teve relacionamento difícil com Löw quando foi capitão da seleção, entre 2004 e 2010. O técnico acabou não o convocado para a Copa do Mundo da África do Sul-2010, competição em que a Alemanha terminou na terceira colocação.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM