Jornal do Commercio
América do Sul

'É estranho', diz Tévez sobre Boca-River em Madrid

Superclássico argentino define clube campeão da Libertadores no domingo (9), no Santigo Bernabéu

Publicado em 06/12/2018, às 14h33

Tévez falou da importância dos jogadores manterem o foco, independente de o jogo não ser na Argentina / Alejandro Pagni/AFP
Tévez falou da importância dos jogadores manterem o foco, independente de o jogo não ser na Argentina
Alejandro Pagni/AFP
JC Online

Peça importante do elenco do Boca Juniors, o atacante Carlito Tévez se posicionou sobre jogar o jogo da volta da final da Libertadores, contra o River Plate, em Madrid, longe da Argentina. Para o jogador, fazer o superclássico argentino longe do país natal é, no mínimo, "estranho". O duelo que define quem será o campeão sul-americano acontece neste domingo (9), às 16h30 (do Recife), no estádio Santiago Bernabéu, em Madrid (ESP).

"É uma final um pouco estranha. Como jogador, acho que é importante não perder o foco. É uma final de Libertadores. Mas jogar em Madri um River-Boca... é estranho. Mas é importante colocar o foco no que vai acontecer no jogo", reconheceu Carlos Tévez.



IDA

Na partida da ida, as equipe ficaram no empate, por 2x2, na La Bomboneira. O segundo duelo aconteceria no dia 24 de novembro, no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. O confronto, porém, foi adiado e realocado.  O ônibus do Boca foi atacado com pedras e gases por torcedores organizados do River. Alguns jogadores, inclusive, ficaram feridos.

 


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM