Jornal do Commercio
Las Vegas

Polícia pede amostra de DNA de Cristiano Ronaldo

O jogador foi acusado por uma americana por um suposto estupro

Publicado em 11/01/2019, às 09h29

O advogado do jogador minimizou o pedido afirmando que é um dos procedimentos
O advogado do jogador minimizou o pedido afirmando que é um dos procedimentos "mais clássicos" nestes casos
Foto: AFP
AFP

A polícia de Las Vegas pediu às autoridades italianas amostras de DNA de Cristiano Ronaldo, estrela portuguesa da Juventus de Turim e acusado de estupro por uma mulher americana, informaram nesta quinta-feira fontes ligadas à investigação.

O advogado do jogador em Las Vegas, Peter S. Christiansen, minimizou o pedido afirmando que é um dos procedimentos "mais clássicos" nestes casos.

"O senhor Ronaldo sempre afirmou e reafirma hoje que o que ocorreu em Las Vegas, em 2009, foi um ato de natureza consensual. Não surpreende, portanto, que o DNA esteja presente e que a polícia faça uma das solicitações mais clássicas neste tipo de investigação", escreveu o advogado em um breve comunicado à AFP.



Wall Street Journal revelou nesta quinta-feira que a polícia de Las Vegas transmitiu às autoridades judiciais italianas uma solicitação de amostra de DNA do atacante da Juventus.

A investigação sobre o suposto estupro de Kathryn Mayorga por parte de Cristiano Ronaldo foi reaberta em outubro passado.

Resposta

Ronaldo, 33 anos, afirma que manteve uma relação sexual com Mayorga "completamente consensual", e escreveu no Twitter, logo após a denúncia, que "o estupro é um crime abominável que vai contra tudo o que sou e no que acredito".

Mayorga, 34 anos, moradora de Las Vegas, acusa o jogador de tê-la sodomizado à força no dia 13 de junho de 2009.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM