Jornal do Commercio
Clássico das Emoções

Em clássico movimentado, Náutico e Santa Cruz empatam nos Aflitos

Pipico marcou duas vezes, mas o Náutico buscou o empate saindo atrás do placar nas duas oportunidades

Publicado em 09/02/2019, às 20h26

Pipico foi decisivo para o lado tricolor / Bobby Fabisaki/JC Imagem
Pipico foi decisivo para o lado tricolor
Bobby Fabisaki/JC Imagem
Fernando Castro
Twitter: @fernand0_castro

Em um jogo movimentado, o Clássico das Emoções fez jus ao apelido. Na noite deste sábado (9), Náutico e Santa Cruz empataram em 2x2, nos Aflitos, pela Copa do Nordeste. Autor dos dois gols, Pipico foi decisivo no lado tricolor e marcou duas vezes, enquanto o Timbu foi buscar o empate saindo atrás do placar nas duas oportunidades. Mesmo sem apresentar tanta técnica, os times mostraram muita vontade durante quase todo o clássico.

Com o empate, Náutico e Santa Cruz chegam aos cinco pontos na Copa do Nordeste. No Grupo A, a equipe tricolor subiu uma posição e chegou à vice-liderança. Já no Grupo B, o Timbu não conseguiu entrar no G-4 e ocupa o quinto lugar. O Clássico das Emoções abriu a quarta rodada do Nordestão, que terá complemento apenas na próxima semana.

Antes da partida, o técnico Márcio Goiano havia indicado duas dúvidas para escalar o Náutico. O zagueiro Suéliton retornou ao time na vaga de Rafael Ribeiro, enquanto o meia Lucas Paraíba ganhou a posição de Fábio Matos. No Santa Cruz, Leston Júnior mandou a campo a força máxima, o atacante Pipico ganhou a primeira oportunidade na equipe titular.

O JOGO

O Clássico das Emoções começou movimentado. A duas equipes disputavam a posse da bola e tentavam criar jogadas ofensivas. Aos sete minutos, o Santa Cruz levou a melhor. Allan Dias arrancou pela esquerda, foi até a linha de fundo e cruzou para Pipico. Com faro de gol, o atacante coral deu um bonito drible no zagueiro Suéliton e tocou para o fundo das redes, abrindo o placar.

Atrás do marcador, o Náutico tentava tomar as ações da partida, mas sem muito sucesso. O time alvirrubro até conseguia ter a posse de bola, mas tocava de um lado ao outro sem objetividade. Com o placar a favor, o Santa Cruz chegava a área do goleiro Bruno com mais perigo, nos rápidos contra-ataques.

Os jogadores do Náutico tentavam constantemente acionar o centroavante Wallace Pernambucano, que vive uma excelente fase na temporada. Aos 18 minutos, Wallace Pernambucano disputou a bola na área, que sobrou para Jorge Henrique. O atacante tentou duas vezes, mas o goleiro Ricardo Ernesto salvou os tricolores.

E as tentativas ofensivas do Náutico fizeram efeito aos 26 minutos. A fase é tão boa que Wallace Pernambucano também tinha pique para criar jogadas. O artilheiro alvirrubro carregou a bola pela esquerda e cruzou para área, o experiente Jorge Henrique, posicionado no ataque, diferente das últimas partidas, de peixinho cabeceou e empatou o jogo nos Aflitos. 

Depois de levar o gol de empate, o Santa Cruz não conseguia ter a posse de bola e tinha dificuldades para criar as jogadas ofensivas. Mais incisivo no ataque, o Náutico assustava mais a defesa Coral. No final do primeiro tempo, o lateral direito André Krobel subiu ao ataque e chutou cruzado, obrigando o goleiro Ricardo Ernesto realizar uma defesa importante.



SEGUNDO TEMPO

Depois de um primeiro tempo movimentado, a segunda etapa começou truncada. Mas logo aos cinco minutos, depois de um erro de passe do Náutico, o atacante Elias partiu em velocidade pela esquerda e chutou cruzado. Parada no lance, a defesa do Náutico viu o atacante Pipico aproveitar o lance e marcar o segundo gol dele e do Santa Cruz na partida.

E o Santa Cruz voltou melhor no segundo tempo. Depois de mais uma bobeira da defesa alvirrubra, o meia Allan Dias avançou pelo meio dos zagueiros do Náutico, ganha na força e chutou forte, o goleiro Bruno fez grande defesa e evitou que a equipe tricolor marcasse o terceiro gol.

Pior no segundo tempo, o Náutico foi para o ataque em busca do empate. Depois do técnico Márcio Goiano ser ousado ao tirar o lateral direito André Krobel e colocar o meia Fábio Matos no jogo, o time alvirrubro chegou ao segundo gol com um gol contra, aos 22 minutos. Depois de cruzamento pela direita, o zagueiro Vitão não percebeu que estava só e de cabeça jogou contra a própria meta, empatando mais uma vez o clássico. 

Depois de empatar mais uma vez a partida, o Náutico mudou o panorama no jogo e foi melhor no restante do jogo. Mas sem tanta eficiência, o que acabou sendo reflexo do jogo. Ambos as equipes mostraram muita vontade durante praticamente todo o clássico, mas faltou técnica na maioria das jogadas ofensivas.

FICHA DE JOGO

(2) Náutico: Bruno; André Krobel (Fábio Matos), Diego Silva, Suéliton e Gabriel Araújo; Jiménez, Luiz Henrique e Lucas Paraíba; Jorge Henrique (Thiago), Robinho e Wallace Pernambucano. Técnico: Márcio Goiano.

(2) Santa Cruz: Ricardo Ernesto; Marcos Martins, Vitão, Danny Morais e Bruno Ré; Charles (Eduardo), Lorenzi e Allan Dias; Elias (Jeremias), Jô (Augusto) e Pipico. Técnico: Leston Júnior.

Local: Estádio dos Aflitos, Recife. Árbitro: Marielson Alves Silva (BA). Assistentes: Marcos Welb Rocha de Amorim e Elicarlos Franco de Oliveira (ambos da BA). Gols: Pipico, aos sete min do 1ºT; Jorge Henrique, aos 26 min do 1ºT; Pipico, aos cinco min do 2ºT; Vitão, contra, aos 22 min do 2ºT. Cartões amarelos: Suéliton, Robinho, Wallace Pernambucano (Náutico); Charles, Jô, Augusto (Santa Cruz). Público: 6.017; Renda: R$ 117.544,00.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM