Jornal do Commercio
PERNAMBUCANO 2019

Diretoria do Central dispara contra arbitragem: 'Um bando de ladrão'

Diretor de futebol Sivaldo Oliveira fez críticas contundentes após derrota contra o Salgueiro

Publicado em 21/03/2019, às 09h36

"Uma vergonha, um bando de ladrão", vociferou Sivaldo Oliveira
Foto: Divulgação/Twitter/Central
Diego Borges
Twitter: @DiBorges9

A partida entre Salgueiro e Central que definiu uma das quartas de final do Campeonato Pernambucano desta temporada terminou de forma conturbada. Após sofrer o gol da virada e, consequentemente, da eliminação a menos de 30 segundos para o apito final, representantes da Patativa protestaram contra a arbitragem comandada por Luiz Claudio Sobral.

O diretor de futebol Sivaldo Oliveira foi um dos mais contundentes na crítica à arbitragem, atacando o representante no comando da Comissão Estadual de Arbitragem, CEAF-PE, hoje presidida pelo ex-árbitro Emerson Sobral. Entre as queixas, discussão por alto números de cartões amarelos apresentados aos atletas do Central, e acusações de interferência direta no resultado da partida.

"Por isso que o futebol de Pernambuco está acabado. Por conta de ladrões feito vocês, que vêm para tomar os jogos. Enquanto aquele safado estiver tomando conta da arbitragem de Pernambuco, a gente vai estar acabado, infelizmente. Com gente desse tipo, fazer o que fizeram aqui hoje (no Cornélio de Barros). Uma vergonha, um bando de ladrão", vociferou Sivaldo Oliveira.



"MINOU O NOSSO TIME"

Além da diretoria do Central, jogadores e comissão técnica também se posicionaram após a partida. O técnico Catende, que assumiu o cargo após demissão de Estevam Soares, apontou a expulsão ainda no primeiro tempo do jogador Giovani Rosa como crucial para o placar.

"Sem dúvida. A expulsão fez a diferença. Minou os nossos jogadores com cartão amarelo. Os jogadores ficam sem pegada, indo devagar na bola. Automaticamente, se não tem cartão ele (o jogador) vai com mais vigor na jogada. Minou o nosso time todo. isso é uma vergonha", criticou Catende, que prosseguiu atacando a arbitragem.

"Trabalhamos o time. Os jogadores foram fantásticos. Só não contávamos que alguém pudesse vir e minar tanto um time. Particularmente, eu joguei futebol, trabalho há muito tempo e nunca tinha visto um time ser tão minado assim. Uma expulsão que deixou o time da gente sem reação", completou.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM