Jornal do Commercio
Notícia
Copa América

Primeiros jogos da Copa América têm fracasso de público e preocupam a Conmebol

O maior público registrado até agora foi na estreia do Brasil: 46.342 pessoas compareceram ao Morumbi

Publicado em 17/06/2019, às 14h56

As rendas, por outro lado, são altíssimas / Juan MABROMATA / AFP
As rendas, por outro lado, são altíssimas
Juan MABROMATA / AFP
Estadão Conteúdo

Os cinco primeiros jogos da Copa América registraram fracassos de público nos estádios pelo Brasil. A primeira rodada da competição termina na noite desta segunda-feira com o duelo entre Japão e Chile, no estádio do Morumbi, em São Paulo.

O maior público registrado até agora foi na estreia: 46.342 pessoas pagaram ingresso e acompanharam a vitória por 3 a 0 do Brasil sobre a Bolívia no Morumbi, na última sexta-feira. Já a pior presença de torcedores aconteceu no empate sem gols entre Venezuela e Peru, no sábado, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, que recebeu 11.107 pagantes.

Apesar do público abaixo do esperado, as partidas têm registrado rendas altas. Na abertura, por exemplo, foi a maior da história do futebol brasileiro: R$ 22.476.630,00. O valor dos ingressos foi criticado por torcedores e até jogadores. A média de público nos cinco primeiros jogos foi de 25.034 pagantes e a renda média, de R$ 7.610.452,00.

O presidente da Conmebol, o paraguaio Alejandro Domínguez, admitiu estar preocupado com a pouco presença do público nos primeiros jogos da Copa América. "Preocupa, claro que preocupa. Porque se quer que as pessoas sempre vejam os melhores jogadores do mundo, para que vejam que os jogadores sul-americanos são os melhores do mundo. Aqui em um país onde se vive o futebol, se gostaria que as pessoas participassem. Tem jogos que têm muita gente, e outros que lamentavelmente não têm muito. (O balanço) Até agora é muito positivo, e creio que vai melhorando", afirmou o dirigente.

A operação da Copa América é realizada pelo Comitê Organizador Local (COL). Questionado pelo Estado se haverá alguma ação para aumentar o público na segunda rodada, o COL ainda não respondeu.



TORCEDORES ENFRENTAM PROBLEMAS

Em dois dos cinco jogos até agora, torcedores enfrentaram problemas. Na abertura no Morumbi, um grupo tinha ingressos com numeração inexistente. A organização realocou as pessoas em outro setor do estádio. No duelo entre Paraguai e Catar, o estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, tinha diversas cadeiras sujas ou quebradas. A organização reforçará a limpeza na arena carioca para as próximas partidas.

Os jogos da Copa América têm ingressos de R$ 120 a R$ 890. Na primeira fase, com exceção à abertura, os bilhetes custam entre R$ 120 e R$ 350. O preço foi criticado pelos jogadores da seleção brasileira. "Eu sou do povo, sempre vou prezar que o povo esteja nos estádios vivenciando momentos, mas são coisas que fogem das nossas mãos. Não controlamos os preços dos ingressos", afirmou o lateral-direito Daniel Alves, em entrevista coletiva no último domingo.

"Falando de uma maneira clara: os ingressos são muito caros. A gente entende a insatisfação do torcedor que pagou caro. As pessoas tinham de ter um pouco de sensibilidade com os preços. Acho que estão exagerados. Tinha espaço no estádio. Não sou de falar disso, mas a torcida teve razão no primeiro tempo. Faltou o gol. No segundo tempo, mudamos a atitude e saímos com um bom resultado", disse o zagueiro Thiago Silva, após a vitória do Brasil sobre a Bolívia.

Na abertura da Copa América, por exemplo, o tíquete médio foi de R$ 485. O menor foi entre Uruguai e Equador, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, com R$ 112,74.

Confira os públicos nos primeiros cinco jogos da Copa América:

Brasil 3 x 0 Bolívia: 46.342 pagantes (R$ 22.476.630,00 - renda bruta) - Morumbi

Argentina 0 x 2 Colômbia: 34.950 pagantes (R$ 9.259.710,00) - Arena Fonte Nova

Paraguai 2 x 2 Catar: 19.162 pagantes (R$ 2.381.305,00) - Maracanã

Uruguai 4 x 0 Equador: 13.611 pagantes (R$ 1.534.535,00) - Mineirão

Venezuela 0 x 0 Peru: 11.107 pagantes (R$ 2.400.080,00) - Arena Grêmio




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM