Jornal do Commercio
Notícia
Copa América 2019

Técnico reconhece pouca criatividade do Brasil em empate contra Venezuela

Seleção Brasileira acertou apenas uma finalização no gol adversário em todo o jogo

Publicado em 19/06/2019, às 06h03

Técnico também explicou as alterações que fez na segunda etapa da partida / Foto: Juan Mabromata/AFP
Técnico também explicou as alterações que fez na segunda etapa da partida
Foto: Juan Mabromata/AFP
Klisman Gama
Twitter: @Klisman Gama

O Brasil fez um jogo abaixo das expectativas diante da Venezuela na Fonte Nova. O empate em 0 a 0 demonstrou uma dificuldade grande da Seleção Brasileira em criar jogadas diante de adversários fechados, como foi a Vino Tinto. Com Coutinho e Firmino bem marcados, os comandados de Tite apenas acertaram uma finalização no gol em todo o confronto. Apatia que o técnico reconhece e que pretende não voltar a repetir.

“Não tivemos a criatividade que nós buscamos. Quando a equipe não faz o gol, bate a pressa, fica ansiosa um pouco demais. E fica traduzido em jogadas que apressa o passe vertical, (sendo que) a cara da equipe é trabalhar a bola e depois dar o passe vertical. As finalizações precisam melhorar, principalmente à média distância, contra equipes fechadas”, comentou Tite.



ALTERAÇÕES

O treinador foi criticado também pelas substituições feitas no jogo. Elas foram consideradas conservadoras em uma partida que o Brasil poderia ser mais ofensivo para buscar a vitória. Com a necessidade de maior presença criativa no meio, ou de alguém mais efetivo no drible, o técnico trocou jogadores por outros da mesma posição. Ele tirou Casemiro para colocar Fernandinho, Richarlison para a entrada de Gabriel Jesus e David Neres por Everton. Segundo Tite, tais mudanças foram feitas por manterem a estrutura na qual a equipe está treinada para atuar, sem deslocar atletas para outras funções.

“Tenho que ajustar a equipe para situações diferentes. O Coutinho pelo lado dá uma liberdade maior. Mas se eu sair trocando a toda hora, eu acabo tirando a confiança da equipe e deixo para as circunstâncias do jogo a observação. Tive a possibilidade de deixar ele do lado com os dois enfiados (Firmino e Jesus). Então tento dar um certo tempo para que as coisas se ajustem, e não ficar transformando uma ou outra”, encerrou o treinador.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM