Jornal do Commercio
Análise
FUTEBOL NORDESTINO

Futebol do Nordeste baterá recorde no Campeonato Brasileiro em 2020

Região contará com dez clubes nas duas primeiras divisões na era dos pontos corridos

Publicado em 09/12/2019, às 10h37

Bahia, Ceará, Fortaleza e Sport serão os representantes do Nordeste na Série A / Fotos: Leonardo Moreira/Fortaleza, Felipe Oliveira/Bahia, Israel Simonton/Ceará e Anderson Stevens/Sport
Bahia, Ceará, Fortaleza e Sport serão os representantes do Nordeste na Série A
Fotos: Leonardo Moreira/Fortaleza, Felipe Oliveira/Bahia, Israel Simonton/Ceará e Anderson Stevens/Sport
Diego Borges
Twitter: @DiBorges9

Ao narrar a batalha de Canudos na obra 'Os Sertões', o escritor Euclides da Cunha descreve o povo sertanejo nordestino como 'antes de tudo, um forte'. E com a definição das configurações dos participantes das Série A e B para o ano de 2020, o futebol do Nordeste reafirmará a sua força no Campeonato Brasileiro e estabelecerá um novo recorde na era dos pontos corridos. Será o melhor ano em qualidade da representatividade nas duas primeiras divisões do futebol nacional, com dez clubes nordestinos entre os 40, num total de 25%.

De fato, em 2014, a mesma fatia de 1/4 dos clubes das Séries A e B já havia sido alcançada pelo futebol nordestino. No entanto, naquela ocasião, apenas três clubes disputaram a Série A, enquanto em 2020, os nordestinos terão novamente quatro representantes, mantendo a marca estabelecida pelo terceiro ano consecutivo, agora com Bahia, Ceará, Fortaleza e Sport na Primeira Divisão, enquanto Confiança, CRB, CSA, Náutico, Sampaio Corrêa e Vitória disputarão a Série B.



A marca para 2020 se torna ainda mais expressiva quando comparada aos três primeiros anos em que a CBF adotou o modelo de pontos corridos para a Série A do Campeonato Brasileiro. Em 2003 e 2004, 48 clubes disputaram as duas séries principais e a Região Nordeste emplacou oito (16,6%) e nove (18,7%) e equipes nos respectivos anos.

E em 2005, último ano antes da implementação dos pontos corridos também para a Série B e a estabilização do modelo de vinte clubes para ambas as divisões, o Nordeste teve apenas oito das 44 equipes, com 18,2% do total de representatividade.

CONFIRA OS DADOS

PONTOS CORRIDOS NA SÉRIE A

2003 (24 clubes)

A Bahia, Fortaleza e Vitória

B Ceará, CRB, Náutico, Santa Cruz e Sport,

2004 (24 clubes)

A Vitória

B América-RN, Bahia, Ceará, CRB, Fortaleza, Náutico, Santa Cruz e Sport

2005 (22 clubes)

A Fortaleza

B Bahia, Ceará, CRB, Náutico, Santa Cruz, Sport, Vitória

PONTOS CORRIDOS NA A E NA B

2006

A Fortaleza e Santa Cruz

B América-RN, Ceará, CRB, Náutico e Sport

2007

A América-RN, Náutico e Sport

B Ceará CRB, Fortaleza, Santa Cruz e Vitória

2008

A Náutico, Sport e Vitória

B ABC, América-RN, Bahia, Ceará, CRB e Fortaleza

2009

A Náutico, Sport e Vitória

B ABC, América-RN, Bahia, Campinense, Ceará e Fortaleza

2010

A Ceará e Vitória

B América-RN, ASA, Bahia, Icasa, Náutico e Sport

2011

A Bahia e Ceará

B ABC, ASA, Icasa, Náutico, Salgueiro, Sport e Vitória

2012

A Bahia, Náutico e Sport

B ABC, América-RN, ASA, Ceará, CRB e Vitória

2013

A Bahia, Náutico e Vitória

B ABC, América-RN, ASA, Ceará, Icasa e Sport

2014

A Bahia, Sport e Vitória

B ABC, América-RN, Ceará, Icasa, Náutico, Sampaio Corrêa, Santa Cruz

2015

A Sport

B ABC, Bahia, CRB, Ceará, Náutico, Sampaio Corrêa e Santa Cruz

2016

A Santa Cruz, Sport e Vitória

B Bahia, Ceará, CRB, Náutico e Sampaio Corrêa

2017

A Bahia, Sport e Vitória

B ABC, Ceará, CRB, Náutico e Santa Cruz

2018

A Bahia, Ceará, Sport e Vitória

B CRB, Fortaleza, Sampaio Corrêa

2019

A Bahia, Ceará, CSA e Fortaleza

B CRB, Sport e Vitória

2020

A Bahia, Ceará, Fortaleza e Sport

B Confiança, CRB, CSA, Náutico, Sampaio Corrêa e Vitória




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM