Jornal do Commercio
Timbu

Renato está há 16 anos no Náutico e tem o coração alvirrubro

Atacante de 21 anos chegou ao clube com seis e Kuki é o seu maior ídolo

Publicado em 25/04/2015, às 15h00

Do JC Online

Um coração alvirrubro. É o mínimo que se pode dizer do atacante Renato. Não é sem razão. Ele está no clube desde os seis anos de idade. São 16 anos, mais que o ídolo Kuki, que está no alvirrubro há 14 anos. Ele iniciou a sua trajetória no Futsal e lembra até do mês e do ano. "Cheguei no clube em novembro de 1999", disse cheio de orgulho. Foi um longo caminho até subir para o futebol de campo em 2008 no sub-15.

"Sempre tive o objetivo de ser jogador de futebol. Desde que jogava na escolinha do Santa Bárbara (colégio do bairro da Imbiribeira). Fui levado por meu colega Tiago, que era goleiro. Os meus pais (Ricardo Silvestre e Lucimar Ferreira) sempre me apoiaram", contou, antes do treino de sexta-feira (24), no CT Wílson Campos, na Guabiraba.

Durante a entrevista, Renato Henrique Ferreira Silvestre da Silva, 21 anos, não disfarçava a emoção. Depois de tanto tempo no alvirrubro, aprendeu amar o clube. "Tudo que tenho devo ao Náutico. Aqui aprendi a ser cidadão. Posso dizer que sou um torcedor fanático, mas também sou um atleta profissional", ressaltou, o jovem que é casado com Raquel e já é pai.



KUKI: O ÍDOLO
Durante todo esse tempo, Renato se inspirou em vários jogadores. O principal é o ex-atacante Kuki, tricampeão e um dos maiores artilheiros da história do Timbu. Hoje é um dos assistentes do técnico Lisca. E lembra que aos oito anos, entrava em campo de mãos dadas com o ídolo nos dias de jogos.

"Kuki marcava muitos gols. Eu vibrava. Nem imaginava que um dia iria trabalhar com ele. A primeira vez foi em 2010 no sub-17. Naquele ano marquei 50 gols", relembrou.

Nem tudo foram flores. A maior tristeza vou assistir a “Batalha dos Aflitos”, quando o Grêmio teve quatro jogadores expulsos e venceu por 1x0, em 26 de novembro de 2005. O Náutico desperdiçou dois pênaltis e viu fugir o acesso à Série A. A alegria foi o título Pernambucano de 2004. "Revertemos uma vantagem do Santa Cruz e vencemos no Arruda por 3x0."

Na atual temporada Renato enfrentou outra dor: o time foi eliminado da Copa do Nordeste e do Pernambucano. Mas, não perde o otimismo para a Série B do Brasileiro. "A gente pode dar a volta por cima. O nosso grupo é bom e está se reforçando. Vamos lutar muito pelo acesso à Série A."


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM