Jornal do Commercio
Torcida organizada

Presidente do Náutico detona organizadas: 'não servem para nada'

'Todo tipo de coibição que existir, enquanto eu for presidente do Náutico, vou fazer', afirmou Edno Melo

Publicado em 09/07/2018, às 20h07

Náutico condena qualquer tipo de organizada, disse presidente / André Nery/JC Imagem
Náutico condena qualquer tipo de organizada, disse presidente
André Nery/JC Imagem
Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Chateado com mais um caso de violência em solo pernambucano relacionado ao futebol, com a confusão do último sábado (9), antes da partida entre Santa Cruz e Remo, o presidente do Náutico atendeu o JC nesta segunda (9) e detonou as torcidas organizadas. Segundo Edno Melo, as organizadas não tem nenhum tipo de apoio do Timbu, seja com ingressos, espaço físico ou entrada com camisas na sede. E que, enquanto for o mandatário alvirrubro, vai "bater de frente" com as TOs.

"O Náutico condena veementemente qualquer tipo de torcida organizada. Pra mim, não servem para nada. É um absurdo. Ontem (domingo, 8) não consegui terminar de ver os vídeos. Esse tipo de situação só afasta a família que quer ir pro estádio. Futebol é um espetáculo como o teatro ou o cinema. É uma diversão. Imagine ir com seu filho e esposa e se deparar com 40 ou 50 pessoas batendo em uma só? É um absurdo. A gente não tem nenhum contato com organizada: não disponibilizamos ingressos e não deixamos entrar com camisa de torcida na sede do clube. Todo tipo de coibição que existir, enquanto eu for presidente do Náutico, vou fazer. Bater de frente mesmo. Não quero nenhum tipo de assunto com elas", afirmou o presidente.



"A gente não pode nem dizer que são torcedores. Aquelas pessoas ali não vão pro campo. Torcedor organizado pra mim são amigos e familiares que se reúnem. Pessoas ordeiras e descentes, que pintam o rosto e levam balões. Pai, mãe, filhos. Mas esse tipo de cidadão (que arruma confusão), que nem pode ser chamado de cidadão, não tem que ter acesso nenhum às dependências do clube ou qualquer privilégio. Pelo contrário: tem que reprimir o quanto possível", complementou.

REUNIÃO

Nesta segunda (9), representantes do Salgueiro, Central, Santa Cruz e Náutico se reuniram para conversar sobre diversos assuntos, incluindo a violência no futebol. "Tininho (Constantino Júnior, presidente do Santa) estava até fazendo uma nota de repúdio. A gente não patrocina isso, mas infelizmente é a imagem do clube que está ali. A quantidade de torcedores do Santa Cruz que viram aquilo e no próximo jogo vão pensar duas vezes antes de ir pro campo é gigante. Assim como seria no Náutico ou no Sport. O Governo do Estado tem que botar a mão na consciência, porque tem uma parcela grande de culpa. A Polícia Militar e os clubes tem que fazer a mea-culpa e todos juntos arrumarem uma solução definitiva para isso", finalizou Edno.


Recomendados para você


Comentários

Por EDUARDO ALMEIDA,10/07/2018

Eita! Agora lá vem um doido fazer comparação entre Lei Seca e Futebol. Meu Deus, me dê paciência! Então vai ter que fazer lei para não ter esporte, porque qualquer um pode beber e entrar para assistir.No meu ponto de vista, o correto é ter torcida única e lei com punições severas a esse tipo de violência, mas como vivemos no Brasil... nunca vai acontecer!

Por RAMIREZ SOUZA,10/07/2018

Deveria existir uma Lei que proibisse por 1 ano, sem assistir aos jogos do seu time dentro de quaisquer estádios, a torcida responsável por esses tipos de atrocidades. Sei que muitos que são torcedores de verdade seriam atingidos com essa medida, mas com esse impedimento, o Governo, Federações e Clubes tentariam mudar algo no futebol. De qualquer forma, não da pra morrer por causa de futebol, hoje todo mundo tem internet e tv a cabo.

Por Charlie Brown,09/07/2018

Favor corrigir a palavra "descentes". O correto é decentes, que são aqueles que têm decência.

Por Andre Silva,09/07/2018

A Lei Seca veio prejudicar o cidadão de bem em virtude da Impunidade. Nesse caso do Futebol então tem que fazer a mesma coisa agora. Proibir Jogo de Futebol. É minha opinião. Espero que publiquem. Tem Lei Seca...então Lei Sem Futebol.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vidas Compartilhadas Vidas Compartilhadas
O JC apresenta o mundo da doação e dos transplantes de órgãos pelas vozes de pessoas que ensinam, mesmo diante das adversidades, a recomeçar a vida quantas vezes for preciso.
JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM