Jornal do Commercio
EXPERIÊNCIA NA ZAGA

Náutico tem melhor defesa da Série C desde entrada de Márcio Goiano

O Náutico levou apenas nove gols nas últimas 11 partidas. Foram apenas cinco gols tomados nos oito jogos do segundo turno

Publicado em 10/08/2018, às 09h01

Segundo Márcio Goiano, o sistema defensivo ficou eficiente e deu segurança para que os atacantes conseguissem fazer diferença nos jogos / Foto: Guga Matos/JC Imagem
Segundo Márcio Goiano, o sistema defensivo ficou eficiente e deu segurança para que os atacantes conseguissem fazer diferença nos jogos
Foto: Guga Matos/JC Imagem
Túlio Feitosa
Twitter: @tuliofeitosa

Se existe um setor que pode ser considerado fundamental para a reação do Náutico na Série C esse é a defesa. Isso porque desde que o técnico Márcio Goiano assumiu o time, na sétima rodada da Série C, a equipe levou nove gols em 11 jogos, números que apenas o Operário-PR, líder do Grupo B, apresenta. No segundo turno vai além e tem o sistema defensivo menos vazado, com apenas cinco tomados nas oito partidas. Os números evidenciam melhora na defesa Timbu, depois dos 12 gols sofridos nos primeiros seis jogos.

“Quando temos grandes artilheiros, de uma certa forma, te dá a certeza de gols. Mas quando você não tem uma organização defensiva, te preocupa porque você vai atrás dos gols, mas também toma”, ressaltou Goiano, que deu nova cara à equipe. O sistema defensivo ficou eficiente e deu segurança para que os atacantes conseguissem fazer diferença nos jogos. “Sem tomar gols, ganha confiança”, completou

Segundo o treinador, o equilíbrio veio graças às peças que ele integrou na formação da equipe. “Josa não vinha jogando, e ele tem mostrado sua importância no desarme. Já com passes, Sueliton, Assis, Bryan, Camutanga. Jogadores que deram esse equilíbrio. Luiz e Jhonnatan, que são de armação e chegada na área e recomposição rápida”, exalta.

O técnico ainda ressaltou o desempenho dos atacantes no sistema defensivo, que se integram na primeira linha da marcação. “A parte defensiva não é só atrás. Cobramos muito nos treinamentos e, realmente, tem sido muito importante essa organização para nós”, pontuou.



DECISÃO

Independentemente do resultado de amanhã, o Náutico irá decidir o acesso dentro de casa. Pelo retrospecto da equipe na Arena, o clima é positivo. Na temporada, o Timbu perdeu apenas um jogo dentro de casa, contra o Confiança, no primeiro turno da Série C. Na época, Roberto Fernandes era treinador da equipe, que estava na lanterna. “O primeiro jogo é muito importante, mas na verdade ele não é decisivo. O que se decide sempre é o segundo”, destacou Márcio Goiano.

Mesmo assim, caso passe para a semifinal, o Timbu pode decidir fora de casa, já que as pontuações do G-4 do Grupo B são maiores. O treinador do alvirrubro minimizou a dificuldade nessa situação, mais uma vez exaltando a qualidade do grupo que tem nas mãos.

“Independe se é o primeiro fora ou em casa. Temos que estar tranquilos, fazermos uma boa leitura do adversário, estudar bem o individual e estar bem preparados. Se fizermos um bom primeiro jogo, aí sim, o segundo será decisivo”, completa Goiano.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM