Jornal do Commercio
Reforço

Liga dos Campeões, Muricy Ramalho e recomeço: conheça novo contratado do Náutico

Atacante Matheus Carvalho foi apresentado nesta sexta (7) pelo Timbu

Publicado em 07/12/2018, às 14h33

Atacante Matheus Carvalho tem 26 anos e jogou a Série C pelo ABC em 2018 / Léo Lemos/Náutico
Atacante Matheus Carvalho tem 26 anos e jogou a Série C pelo ABC em 2018
Léo Lemos/Náutico
Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Um dos grandes destaques da base do Fluminense no início do Século XXI, o atacante Matheus Carvalho chega ao Náutico buscando novo recomeço na carreira. Depois de brilhar como juvenil, o jogador foi emprestado para o Monaco (FRA), chegando até a jogar a Liga dos Campeões. Praticamente contratado, teve problemas com a documentação na França, perdeu a chance de continuar no país e passou oito meses sem jogar futebol. Depois de passagens sem brilho em Atlético-GO, Paraná e ABC, Matheus quer voltar a engrenar na carreira na Rosa e Silva.

Matheus começou a carreira no Fluminense, clube onde começou no futsal e passou 16 anos. Por lá, viajou o mundo e foi um dos destaque da base do clube carioca. Em 2010, subiu para o profissional com o técnico Muricy Ramalho, campeão do Pernambucano em 2001 e 2002, um dos ídolos do Náutico e que estará presente na reabertura dos Aflitos, no dia 16 de dezembro.

"Tive bom destaque em todas as categorias do Fluminense. Sempre viajei desde o início, e as passagens pela seleção de base me ajudaram muito. Subi para o profissional com Muricy em 2010. Sei que ele é ídolo aqui no Náutico e espero dar um abraço nele no dia 16. Depois, enfrentei ele também quando estava no Joinville, pela Copa do Brasil, contra o Santos. Espero revê-lo para agradecer pela grande oportunidade que me deu", disse Matheus.

Em 2015, já no profissional e sem muitas chances, rescindiu contrato com o Flu e assinou com o Barra da Tijuca (RJ) para ser emprestado ao Monaco. Fez 12 partidas no clube francês, sendo relacionado para quatro partidas da Liga dos Campeões e atuando nos dois jogos das quartas de final contra a Juventus. No final do ano, estava tudo certo pro jogador assinar por quatro temporadas. Mas o jogador teve problema com documentação e perdeu a chance de continuar na Europa.



Depois da frustração no Monaco, demorou oito meses para voltar a jogar futebol, esperando a janela de transferências reabrir para a Europa. Ainda teve outra experiência internacional, pelo FL Strikers, mas com apenas seis partidas e um gol. De volta ao Brasil, jogou por Atlético-GO (três jogos e um gol), Paraná (17 jogos e três gols) e ABC (18 jogos e três gols) antes de chegar ao Náutico.

"A minha passagem no Monaco foi pela trajetória boa que tive no Flu. Enxergaram qualidade e me levaram. Fui feliz lá porque tive a chance de jogar a Liga dos Campeões e enfrentar clubes como Arsenal, PSG e Juventus. Tive um começo melhor que os de Fabinho (lateral, hoje no Liverpool) e Wallace (volante, na Lazio). Tinha 99% de chance de ficar e até hoje não sei o que aconteceu na hora da negociação. Infelizmente, não aconteceu. Teria mais quatro anos de contrato lá, mas teve erro na documentação e voltei pro Brasil. Até hoje, tento reerguer minha carreira", afirmou o jogador.

CARACTERÍSTICAS

Chegando após temporada sem muito brilho no ABC, Matheus se apresentou para a torcida alvirrubra. "Minha característica é jogar pelo lado, mas também atuei bastante como falso 9 e até de meia também no ABC. Onde precisar, sempre tento corresponder. Já conheço um pouco da história do Náutico. Tenho muitos amigos que passaram e também que estão aqui, casos de Gabriel (Araújo) e Rafael Assis, que jogou comigo na base do Flu. Sei da grandeza e do peso da camisa. Todo jogador quer atuar em time grande. Agora o Náutico está na Série C, mas não merece estar. E vou fazer de tudo para conquistar esse acesso", finalizou.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM