Jornal do Commercio
Apresentação

Em nova casa no Recife, Fábio Matos quer agarrar oportunidade no Náutico

Cria do Sport, meia não atua em uma partida oficial há oito meses

Publicado em 12/01/2019, às 07h28

Jogador de 22 anos chegou ao Náutico após passagem no Paysandu / Léo Lemos/Náutico
Jogador de 22 anos chegou ao Náutico após passagem no Paysandu
Léo Lemos/Náutico
Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Formado nas categorias de base do Sport, Fábio Matos volta ao Recife após 17 meses e em nova casa. Na última sexta (11), o meia de 22 anos foi apresentado no Náutico, no CT Wilson Campos. Agora na Rosa e Silva, o jogador esquece o passado pelo clube rubro-negro e foca em dar alegrias aos alvirrubros em 2019.

“A rivalidade entre os clubes pernambucanos sempre existiu. Hoje estou no Clube Náutico Capibaribe, que abriu as portas para mim e por quem sou muito grato. No que depender de mim, vou honrar sempre essa camisa e dar o meu melhor. Contra o Sport vai ser só mais um clássico onde as duas equipes vão entrar para ganhar. Independente contra quem for, seja Sport, Santa Cruz ou Salgueiro, vou defender o Náutico, clube que paga meu salário e onde estou muito feliz de ter chegado”, disse.

Querendo reaparecer no futebol brasileiro depois de mais de oito meses sem jogar uma partida oficial, Fábio deverá ser titular contra o Fortaleza, na estreia oficial do clube alvirrubro na temporada, na próxima terça. Pelo menos foi o que indicou o técnico Márcio Goiano no treinamento da última sexta (11), no CT Wilson Campos, colocando o jogador no time principal em praticamente toda a atividade.



“É um jogo importante para o clube e também pros jogadores. Sabemos que o Fortaleza é um time grande e está na Série A. Mas temos um objetivo muito grande e o Fortaleza é só um passo à frente. Respeitamos o adversário, que tem uma equipe qualificada. Mas a gente também tem e vamos em busca dos três pontos”, afirmou.

DIFERENTE

No Náutico, já chega para jogar em uma posição diferente do que vinha jogando na carreira. Na ponta direita, terá liberdade para atuar em várias funções durante a partida. “A primeira vez que vou jogar aberto, mas não quer dizer que só vou atuar assim. Posso ir mais pra dentro, entre os volantes, buscar o jogo na defesa... Depende da característica do adversário e do que o treinador precisa. Hoje em dia é preciso se adaptar ao futebol moderno. É uma função nova para mim, mas já estou me adaptando”, finalizou.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM