Jornal do Commercio
DESENCANTOU

Jorge Henrique ganha mais confiança no Náutico

O experiente atacou fez o seu primeiro gol desde que retornou ao Timbu

Publicado em 10/02/2019, às 18h50

Jorge Henrique marcou seu primeiro tento com a camisa alvirrubra desde que retornou. / Bobby Fabisak / JC Imagem
Jorge Henrique marcou seu primeiro tento com a camisa alvirrubra desde que retornou.
Bobby Fabisak / JC Imagem
Fernando Castro

Principal contratação do Náutico para a temporada de 2019, o meia-atacante Jorge Henrique finalmente desencantou e marcou seu primeiro gol desde que voltou ao time alvirrubro. As atuações do jogador vinham sendo contestadas por parte dos torcedores. De acordo com Márcio Goiano, o gol marcado as vésperas do duelo contra o Imperatriz, traz confiança.

“O Jorge Henrique é um jogador muito experiente e é acostumado a pressão, jogou em clubes grandes isso dá tranquilidade. Ele é totalmente sereno em relação a isso, sabe que tem que melhorar, isso é importante”, declarou Márcio Goiano.



ELENCO

O técnico alvirrubro ainda fez questão de valorizar o elenco do Náutico. “Nós temos um grupo muito bom, muito equilibrado, muito tranquilo, o ambiente nosso é realmente muito bom. Então a tendência natural é a evolução”, disse.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM