Jornal do Commercio
Notícia
final

Vice do Náutico não esconde incômodo com erros de arbitragem

No agregado, o placar entre Náutico e Sport ficou em 2x2

Publicado em 21/04/2019, às 20h09

Apesar do lamento, Diógenes Braga exaltou a força de seu elenco. / Foto: Reprodução
Apesar do lamento, Diógenes Braga exaltou a força de seu elenco.
Foto: Reprodução
Karoline Albuquerque
Do Blog do Torcedor

Dos quatro gols das duas partidas da final do Campeonato Pernambucano 2019, apenas um não foi contestado, seja pelo lado do Náutico ou do Sport. Olhando seu lado, o Timbu lamentou o gol do Leão na partida de ida, nos Aflitos, que deu a vantagem do empate na volta ao rival, em um lance irregular. Depois da disputa de pênaltis neste domingo (21), na Ilha do Retiro, o vice-presidente alvirrubro Diógenes Braga não escondeu seu incômodo.

"Final de campeonato foi decidida pela bandeirinha, árbitra. Isso nos tirou o bi. Incomoda, machuca, até porque quando você é derrotado por um erro, isso tem um efeito de muita revolta dentro de você", lamentou o dirigente alvirrubro.



Mas, Diógenes dedicou a maior parte de sua fala a elogios ao elenco do Náutico. O vice-presidente relembrou que as últimas quatro partidas do Timbu como visitante foram diante de times da Série A, Ceará, e B, CRB, Vitória e Sport. Nos jogos, três vitórias e um empate. Para ele, "isso fala por si só".

"Quando se olha o elenco, vê a luta, o que o elenco fez hoje, vê o Sport aos 30 minutos do segundo tempo dando chutão esperando terminar o jogo, vê a força que a gente, com uma folha cinco vezes menor que o Sport, tem. Entrei no vestiário e disse que não quero ninguém de cabeça baixa. Todos têm orgulho do que eles fizeram. Só continuar fazendo isso e vamos conseguir o objetivo do ano", concluiu.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM