Jornal do Commercio
Notícia
Série C

Náutico perde para Juventude e precisa se recuperar nos Aflitos

O vacilo do Náutico no final do jogo gerou a vitória de virada do Juventude

Publicado em 15/09/2019, às 20h22

Náutico precisa vencer por dois gols de diferença para conseguir vaga na próxima fase / Foto: Léo Lemos/Náutico
Náutico precisa vencer por dois gols de diferença para conseguir vaga na próxima fase
Foto: Léo Lemos/Náutico
Davi Saboya
Twitter: @davisaboya

O Náutico pagou caro pelo vacilo. Apesar de uma boa postura na maior parte da partida, deixou a desejar na reta final do confronto. O erro defensivo do zagueiro Fernando Lombardi gerou o empate, o Timbu sofreu e tomou a virada em uma pressão do adversário nos últimos minutos. Resultado, o Alvirrubro pernambucano perdeu por 2x1 para o Juventude, neste domingo, no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS). Os gols do primeiro jogo entre as equipes pelas semifinais da Série C do Campeonato Brasileiro foram marcados pelos atacantes Álvaro e Poveda, além do lateral-esquerdo Eltinho, em uma cobrança de falta.

Marca do Náutico do técnico Gilmar Dal Pozzo, o Timbu teve uma boa postura defensiva e conseguiu encaixar bons contra-ataques. O comandante alvirrubro surpreendeu e entrou sem um centroavante de origem. Até criou chances de marcar mais gols, mas pecou na hora de concluir. Já a equipe gaúcha não perdoou e a ousadia no segundo tempo gerou o heroico triunfo.

A partida de volta está marcada para o próximo domingo, às 18h, no estádio dos Aflitos. O Náutico precisa vencer por dois gols de diferença fora de casa para garantir uma vaga na final da Terceira Divisão. Em caso de vitória por um gol de diferença, o Timbu terá que passar por uma nova decisão por pênaltis, já que na fase anterior garantiu uma vaga na Série B ao passar pelo Paysandu na disputa de penalidades. Um empate elimina os alvirrubros da competição.

O JOGO

A partida começou bastante equilibrada com o famoso ritmo "lá e cá". Tanto Náutico quanto Juventude exploraram as bolas alçadas na grande área. Com o passar da primeira etapa, os donos da casa começaram a colocar a bola no chão em busca de espaços na defesa alvirrubra. Porém, o sistema defensivo do Timbu estava compactado e suportou as investidas. Outro tática utilizada por ambos os times também foram os arremates de fora da área.

Apostando na velocidade no pelotão de frente, o Náutico sentiu a falta de um centroavante e não conseguiu segurar a bola no último terço do campo. Responsável por cadenciar o jogo, o meia Jean Carlos tinha dificuldade para coordenar as ações do ataque. E Álvaro, Matheus Carvalho e Neto Pessôa não realizavam as triangulações com facilidade.

Esperando um vacilo do adversário gaúcho, a equipe pernambucana não perdoou quando conseguiu encaixar a primeira jogada. Aos 38 minutos, o volante Jhonnathan apareceu no ataque como homem surpresa pelo lado direito e alçou a bola na grande área. O atacante Álvaro dominou e bateu de voleio na saída do goleiro Marcelo Carné.

A resposta do Juventude não demorou. Logo em seguida, o meia Renato Cajá recebeu próximo a meia lua da grande área e acertou a trave em um chutaço, que desviou no zagueiro Camutanga e quase enganou o arqueiro Jefferson. Os gaúchos tentaram reagir rapidamente, mas não teve o sucesso. Como tem se destacado sob o comando de Dal Pozzo, o Náutico soube se comportar bem.



No segundo tempo, o Juventude voltou com todo gás do intervalo para buscar o empate e quem sabe a virada. O Náutico não abaixou a guarda e continuou se defendendo bem. Em um lance de bola parada, os gaúchos quase empataram, mas o zagueiro Genilson desviou para fora, e além disso, estava em posição irregular.

Com mais uma boa atuação do sistema defensivo alvirrubro, os mandantes não conseguiam criar jogadas e foram forçados a cruzar a bola na grande área, como também arriscar de longe. Já o Timbu ameaçou duas vezes no contra-ataque. Primeiro, o atacante Matheus Carvalho recebeu o lançamento e de fora da área tentou de cobertura, mas Marcelo Carné realizou grande defesa. Depois, o meia Jean Carlos apareceu pela ponta esquerda e cruzou rasteiro para Álvaro, que completou e acertou no travessão.

E como diria o ditado, quem não faz leva. Aos 24, o zagueiro Fernando Lombardi não acompanhou o atacante Poveda, que foi lançado e saiu na cara do goleiro alvirrubro Jefferson. Com tranquilidade, bateu na saída do arqueiro e empatou a partida. O gol colocou fogo no estádio Alfredo Jaconi e o time gaúcho partiu para cima em busca da virada. O Náutico aguentou a pressão durante quase toda a partida. Mas, aos 48, o lateral-esquerdo Eltinho cobrou com categoria uma falta rente ao gol e virou a partida para o Juventude. A bola bateu no travessão, nas costas do goleiro Jefferson e morreu no fundo do gol.

FICHA DO JOGO - JUVENTUDE 2X1 NÁUTICO

Juventude - Marcelo Carné; Vidal, Genilson, Sidimar e Eltinho; João Paulo, John Lennon (Denner), Aprile e Renato Cajá (Rafael Bastos); Breno (Poveda) e Dalberto. Técnico: Marquinhos Santos.

Náutico - Jefferson; Hereda, Camutanga (Rafael Ribeiro), Fernando Lombardi e Wilian Simões; Josa, Jhonnatan e Jean Carlos; Matheus Carvalho, Neto Pessôa (Jimenez) e Álvaro (Wallace Pernambucano). Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul-RS. Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG). Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Sidmar dos Santos Meurer (MG). Gols: Álvaro aos 36 min do 1º tempo, Poveda aos 24 minutos do 2º tempo e Eltinho aos 48 minutos do 2º tempo. Cartões amarelos: Genilson (Juventude). Jefferson e Camutanga (Náutico).

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM