Jornal do Commercio
Notícia
IMPASSE

Conselho do Náutico aprova impugnação da candidatura de Newton Morais

Decisão foi tomada em reunião do Deliberativo, na noite desta sexta-feira (06), contrariando liminar judicial

Publicado em 06/12/2019, às 22h01

Reunião ocorreu na noite desta sexta-feira (6) / Foto: divulgação/ Conselho Deliberativo do Náutico
Reunião ocorreu na noite desta sexta-feira (6)
Foto: divulgação/ Conselho Deliberativo do Náutico
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

O Conselho Deliberativo do Náutico impugnou, na noite desta sexta-feira (6), a candidatura de Newton Morais, que encabeça a chapa Somos Todos Náutico, na eleição para o conselho alvirrubro, que acontece neste domingo (8). De acordo com Ivan Pinto da Rocha, atual vice-presidente do CD do clube, a decisão foi aprovada pelo órgão por entender que o candidato não poderia disputar o certame por ter uma ação judicial contra o clube.

"Newton (Morais) teve a sua candidatura impugnada porque ele tem uma ação judicial contra o Náutico. Ele litiga contra o clube. A comissão eleitoral entendeu que não tinha competência para analisar a impugnação com base na fundamentação que foi utilizada pelo impugnante e encaminhou para o Conselho Deliberativo. O Conselho, por sua vez, deu mais um prazo de defesa e marcou a reunião. Pedimos o parecer da nossa comissão de Legislação e Justiça, que deu o parecer de que o Conselho Deliberativo é o órgão competente do clube para tratar da matéria suscitada. Diante disso, foi votado o mérito e, por maioria absoluta, com apenas uma abstenção, foi decidido a impugnação", declarou Ivan Pinto da Rocha, atual vice-presidente do Conselho Deliberativo do Náutico.

O dirigente complementou afirmando que "o mérito da impugnação pedia a exclusão (de Newton) do certame eleitoral enquanto ele tivesse demanda judicial contra o clube. A comissão de Legislação e Justiça do Conselho opinou favorável a essa medida entendendo que qualquer sócio que litiga contra o clube, seja Newton ou qualquer outro sócio, não pode se candidatar a qualquer cargo no clube para assumir função alguma".



Porém, na tarde desta sexta-feira (06), uma liminar judicial da a 13ª Vara Cível da Capital, impetrada pelo Juiz de Direito Ruy Trezena Patu Júnior, aponta que o Conselho Deliberativo do Náutico não teria competência para impugnar a candidatura de Newton Morais, como diz o texto. "Vê-se que a documentação acostada aos autos confere indícios de verossimilhança das alegações aduzidas na inicial, restando comprovada, à luz de uma cognição sumária, que a competência para julgar impugnação à candidatura ao cargo de Conselheiro de Conselho Deliberativo é da Comissão Eleitoral, conforme se extrai do art. 23, §1º, do ESTATUTO (Id. 55100385) e do art. 2º, §3º, da RESOLUÇÃO Nº 001/2019 (Id. 55100391)".

Diante desse impasse, o presidente da Comissão Eleitoral do Náutico, Paulo Azevedo, confirmou à reportagem do Jornal do Commercio que vai se reunir com o seu colegiado para tomar as devidas providências para a realização ordeira e correta da eleição. "O vice-presidente Ivan Rocha me ligou e me disse que o Conselho tinha resolvido isso, apesar a decisão judicial. Pedi para ele fazer um ofício para me notificar oficialmente para que eu pudesse tomar as providências. Vou me reunir com a comissão amanhã (sábado), às 14h30, no clube, para que tomarmos uma decisão colegiada e fazer o melhor para o clube. Acima de Ivan, Newton e qualquer outro está o nome do Náutico. Nosso trabalho é visando o melhor para o Náutico", apontou Paulo Azevedo.

Mesmo ciente da liminar judicial, Ivan Pinto da Rocha e o atual Conselho Deliberativo alvirrubro entende que não foi desrespeitada a decisão do Juiz Ruy Trezena Patu Júnior. "Não vamos de encontro com a liminar. A decisão do Conselho não contraria em nada. Pelo contrário, está em sintonia. A liminar apenas limita, se já tivesse sido julgado a questão em outra instância ou se não fosse competência do Conselho Deliberativo. O que não é o caso, pois nós entendemos que somos o órgão legislativo do clube. Entendemos que temos a competência para isso e, desde então, passamos a enfrentar o mérito da questão. Dentro dos poderes do clube, o órgão que define as competências e interpreta o estatuto do clube é o Conselho Deliberativo. E entendemos que essa matéria, que já tinha sido decidida pela própria comissão eleitoral, quando mandou o processo para o Conselho, que a competência para tratar desse assunto (impugnação) era nossa. Diante disso, estamos enviando ao presidente da Comissão Eleitoral um ofício determinando o cumprimento imediato da decisão de impugnar a candidatura de Newton Morais", comentou o vice do Conselho alvirrubro.

VEJA O TRECHO DA LIMINAR JUDICIAL:

 

 

 

 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM