Jornal do Commercio
Notícia
Guillermo Paiva

Adaptado ao Recife, Paiva comenta sobre o passinho e quer fazer história no Náutico

Atacante paraguaio disse que está conhecendo o passinho, mas que não arrisca dançar durante a comemoração dos gols

Publicado em 15/01/2020, às 07h38

Guillermo Paiva foi apresentado oficialmente no Náutico / Léo Lemos/Náutico
Guillermo Paiva foi apresentado oficialmente no Náutico
Léo Lemos/Náutico
Fernando Castro
Twitter: @fernand0_castro

Apresentado oficialmente ao lado do volante Luanderson, na tarde desta terça-feira (14), no CT Wilson Campos, o atacante Guillermo Paiva é o terceiro jogador paraguaio a defender o Náutico nas últimas três temporadas. Antes dele, vestiram a camisa alvirrubra o também atacante Ortigoza (2018) e o volante Jiménez (2018 e 2019). O novo jogador do Timbu destacou a qualidade do elenco e revelou que pretende construir uma história no clube.

"Pessoalmente eu não conheço eles, mas sei quem é Ortigoza, conheço bem a história dele, já jogou no Paraguai por outro clube. O Jiménez eu tive a oportunidade de conversar e eu venho aqui para fazer minha história, vou tentar e dar o melhor de mim, treinar todo dia para jogar, vai ser duro, tenho muitos companheiros que jogam muito e eu vou dar o meu melhor", comentou Paiva.



ADAPTAÇÃO

Aos 22 anos, é a primeira vez que Paiva vai jogar no Brasil. No Recife há pouco mais de um mês, o jogador tem se entrosado bem com os demais jogadores do elenco e se mostrou feliz pela receptividade do grupo, principalmente com as brincadeiras entre os atletas. Além do futebol, o paraguaio destacou o ritmo do passinho como uma das características da cultura pernambucana que o chamou atenção, mas disse que não arrisca dançar durante a comemoração dos gols.

"Tem o passinho que eu não sei como faz, todo mundo faz e eu fico vendo. Eu conheço o funk, moro na cidade no leste, perto da Foz do Iguaçu, na ponte da amizade, que se escuta muito, mas esse passinho eu ainda estou conhecendo. Não falamos (sobre a comemoração de gols), mas o Diego e o Jefferson Nem ficam falando que eu tenho que aprender, mas eu não vou dançar não (risos)", declarou o atacante.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM