Jornal do Commercio
Vôlei

Jaqueline Carvalho comemora retorno ao Minas Tênis Clube

Jogadora bicampeã com a seleção brasileira estava há oito meses sem time

Publicado em 14/12/2016, às 19h08

Jaqueline está há quatro meses sem disputar uma partida oficial / Minas Tênis Clube/Divulgação
Jaqueline está há quatro meses sem disputar uma partida oficial
Minas Tênis Clube/Divulgação
Luana Ponsoni

A pernambucana Jaqueline Carvalho, de 32 anos, foi apresentada oficialmente como reforço do Camponesa/Minas a duas rodadas para o término do primeiro turno da Superliga Feminina de Vôlei. A jogadora estava sem clube desde abril deste ano, quando o Sesi-SP anunciou que não renovaria o seu contrato. O último jogo de ponteira-passadora aconteceu no dia 17 de agosto, quando a seleção brasileira tomou a virada da China nas quartas de final dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

 Essa é a segunda passagem de Jaqueline pelo time mineiro. Em 2014, o clube tirou a pernambucana de uma inatividade na Superliga que estava prestes a completar dois anos. No dia 19 de novembro, ela foi anunciada como grande contratação para a temporada 2014/2015 da principal competição interclubes do vôlei nacional. A jogadora chegou a chorar durante a sua apresentação à imprensa. Na edição seguinte do torneio, porém, foi para o Sesi-SP e voltou a ficar desempregada por oito meses até retornar ao Minas este ano.

 A dificuldade da bicampeã olímpica para atuar no mercado nacional do vôlei está ligada a dois fatores. O principal diz respeito ao seu alto salário, inviável para os clubes de médio e pequeno portes. O segundo está ligado ao ranking da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), instituído para tornar as equipes mais equilibradas. Cada clube só pode ter duas jogadoras com a pontuação máxima, que é de sete pontos, caso de Jaqueline. Como os times grandes já têm estrelas com esse quilate, a ponteira segue a peregrinação em equipes menores que consigam investidores dispostos a arcar com seu salário.



 “Estou muito ansiosa para poder vestir a camisa, para poder jogar, poder treinar. Faz um pouco de tempo que estou sem fazer isso. Até porque, depois da Olimpíada, acabei não assinando com nenhuma equipe. Esperei um pouco mais e acabou dando tudo certo com o Minas. Estou voltando, a Camponesa viabilizou tudo da melhor forma possível. Eles estão de parabéns e eu agradeço muito”, disse a pernambucana em entrevista ao site do Minas.

ESTREIA

 Como está sem jogar há quatro meses, o retorno de Jaqueline para uma partida oficial só deve acontecer em janeiro, quando começa o returno da Superliga. O primeiro compromisso do Minas está marcado para o dia 13, contra o Dentil/Praia Clube, na Arena Minas Tênis Clube.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM
'; status++; } } else { status = 0; document.getElementById("aovivo").style.display = "none"; } setTimeout(function() { aovivo(); }, 180000); })();