Jornal do Commercio
WSL

Nordestina põe Brasil na semifinal de Bells Beach do Mundial de Surfe

Etapa é a segunda da 'perna australiana' da WSL

Publicado em 03/04/2018, às 11h46

Silvana Lima ganhou a etapa de Bells Beach em 2009 / KELLY CESTARI/ WSL
Silvana Lima ganhou a etapa de Bells Beach em 2009
KELLY CESTARI/ WSL
Luana Ponsoni
esportes@jc.com.br

A cearense Silvana Lima está feliz da vida. Na noite da última segunda-feira (2), ela avançou às semifinais do Rip Curl Pro Bells Beach, em Victoria na Austrália. O evento equivale à segunda etapa do Mundial de Surfe para as mulheres. Natural de Paracuru, ela é a única representante do Brasil na elite do surfe feminino. 

Silvana Lima garantiu o direito de lutar por uma vaga na final após vencer a havaiana Carissa Moore nas quartas de final do evento. A brasileira chegou ao fim da bateria registrando 14.27, contra 12.53 da oponente. 

ADVERSÁRIA

No duelo das semifinais, com provável realização na noite desta terça-feira (3), Silvana Lima vai enfrentar a havaina 
Tatiana Weston-Webb. A cearense comemorou a classificação com um post no instagram. 



 

Silvana Lima é a principal representante do surfe feminino no Brasil. No currículo, os vice-campeonatos de 2008 e 2009 são as conquistas mais importantes. Na última vez em que esteve no segundo lugar geral do evento, inclusive, a cearense foi campeã em Bells Beach. Para eternizar o  momento, ela tatuou o tradicional sino tocado na etapa pelo vencedor, juntamente com a data da conquista.

 





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM