Jornal do Commercio
badminton

Pernambucana disputará Mundial de Badminton na Índia

Siziane Barros, de 14 anos, foi convocada para representar a seleção brasileira no Mundial de Badminton em Pune, na Índia

Publicado em 16/04/2018, às 20h06

Siziane viajará nesta terça-feira junto com a seleção / Divulgação
Siziane viajará nesta terça-feira junto com a seleção
Divulgação
JC Online

A pernambucana Siziane Barros, 14 anos, embarca nesta terça-feira para Pune, na Índia, onde disputará o Campeonato Mundial de Badminton Escolar. Aluna do Educandário Municipal Torquato Soares, em Iati, no Agreste do Estado, ela conquistou a vaga na maior competição da modalidade após ficar entre as cinco melhores no Campeonato Brasileiro, no mês passado. Além dela, a seleção nacional contará com representantes do Piauí, Paraná, Tocantins e Rio de Janeiro.

Embora seja jovem, Siziane já tem cinco anos de experiência no badminton. O técnico Diego Silva de Carvalho elogiou a dedicação da atleta. “Siziane treina conosco há pelo menos uns cinco anos. É muito clara a melhora do rendimento dela, tanto que será a primeira de Pernambuco a disputar um Mundial da modalidade. Acredito muito no potencial dela e vamos ficar na torcida”, afirmou o treinador, que comanda um projeto social com cerca de 100 crianças no ginásio municipal.



NA COMPETIÇÃO

Na Índia, Siziane não terá vida fácil. Afinal, a seleção brasileira caiu em um grupo com China, Turquia e Índia, três das maiores potências do badminton no mundo. “Realmente os adversários são muito complicados, mas nossa representante tem a força e o sangue nordestino, de não desistir nunca e busca sempre o melhor. Acreditamos nela, mesmo diante de adversários tão complicados”, analisou Diego Silva.

Atualmente, Iati é a maior potência do badminton no Nordeste. O município só não foi com toda a equipe para o Mundial porque ficou em segundo lugar no Brasileiro, perdendo apenas para os piauienses. “Para uma cidade com 18 mil pessoas, encravada no Agreste de Pernambuco, esses resultados são surpreendentes. Mas sempre vamos querer mais. Trabalhamos muito para isso”, concluiu o treinador.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM