Jornal do Commercio
Tênis

Serena bate alemã, vai à final de Wimbledon e sonha com recorde

Norte-americana bateu Julia Görges por dois sets a zero

Publicado em 12/07/2018, às 16h20

É a décima final de Serena em Wimbledon / AFP
É a décima final de Serena em Wimbledon
AFP
Estadão Conteúdo

Serena Williams confirmou o favoritismo nesta quinta-feira e se garantiu na final de Wimbledon. A norte-americana superou com facilidade a alemã Julia Görges pelo placar de 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/4, em apenas 1h10min. Na final, no sábado, a ex-número 1 do mundo poderá alcançar o recorde de títulos de Grand Slam.

Se vencer, Serena vai atingir o número de 24 troféus de simples em torneios deste nível, o que só foi alcançado até hoje pela australiana Margaret Court. Em caso de título, a norte-americana poderá quebrar este grande recorde ainda nesta temporada, no US Open, no fim de agosto. 

Em sua 10ª final de Wimbledon, ela mira a oitava conquista, de olho em outro recorde, de Martina Navratilova, que conquistou nove troféus de simples na grama londrina. Mas Serena já poderá se igualar ao suíço Roger Federer, que tem oito títulos no currículo. 

Aos 36 anos, a norte-americana atinge sua primeira final desde o seu retorno às quadras, em fevereiro deste ano, após dar a luz a sua primeira filha. O Torneio de Wimbledon é apenas o quinto evento de que participa a veterana na temporada 2018. Seu ranking atual é apenas o 181ª, mas, com a vaga na final, ela deve saltar ao menos para a 28ª posição. 



Serena e Julia Görges, 13ª do ranking, fizeram um duelo equilibrado ao longo dos dois sets. Porém, a americana fez valer a maior experiência nos pontos mais importantes. Assim, faturou quatro quebras de saque e sofre apenas uma, justamente quando sacava para fechar o jogo - na sequência, devolveu a quebra e assegurou o triunfo. 

Como vem acontecendo em sua trajetória em Wimbledon, Serena mostrou pouca força no saque. Acertou apenas cinco aces, mas converteu 87% dos pontos quando jogou com o primeiro serviço. Registrou ainda menos bolas vencedoras que a rival: 16 a 20. Porém, foi mais precisa nos golpes. Cometeu apenas 7 erros não forçados, contra 11 da rival.

Na decisão, Serena vai reencontrar outra alemã, Angelique Kerber, que levou a melhor na primeira semifinal do dia, ao superar a letã Jelena Ostapenko por duplo 6/3. Kerber vai disputar a final de Wimbledon pela segunda vez na carreira. Na primeira, perdeu justamente para Serena em 2016. Foi o último encontro entre elas.

No retrospecto total, a americana também leva vantagem, com seis vitórias, contra apenas duas da adversária, que também é ex-líder do ranking. Atualmente é a 10ª colocada da lista da WTA


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM