Jornal do Commercio
Mundial

Após bater a França, Renan pede 'pés no chão' à seleção de vôlei contra a Holanda

Brasileiros lideram o Grupo B da competição

Publicado em 14/09/2018, às 20h09

Seleção venceu as duas primeiras / Divulgaççao
Seleção venceu as duas primeiras
Divulgaççao
Estadão Conteúdo

A seleção brasileira masculina de vôlei aproveitou a folga desta sexta-feira e foi à quadra treinar para o confronto de sábado diante da Holanda, em Ruse, pela terceira rodada do Campeonato Mundial. A equipe de Renan Dal Zotto chega embalada pela ótima vitória de quinta diante da forte França, mas o próprio treinador pediu "pés no chão" a seus comandados.

"Já começamos a ver alguns resultados estranhos em outros grupos, o que serve ainda mais para mostrar que não podemos cair nessa armadilha de que, se vencemos uma partida contra uma grande equipe, como a França, há alguma garantia. Temos que focar na Holanda, sabendo que esse é o jogo mais importante agora", declarou.

Por mais que o resultado contra a França tenha sido bastante exaltado, Renan igualou o peso desta vitória ao do triunfo na estreia, contra o frágil Egito. "Foi muito importante a vitória sobre a França, assim como foi contra o Egito e vai ser contra a Holanda. Neste campeonato, cada partida é decisiva, é uma competição onde não pode baixar a guarda nenhum minuto."

A seleção tentará manter os 100% de aproveitamento no sábado, quando encara a Holanda às 14h30 (horário de Brasília). As duas equipes fizeram uma série de três amistosos em agosto, no Brasil, e lembrando daqueles jogos, o central Eder considerou que um fundamento em especial será fundamental neste reencontro



"Com certeza, o saque é fundamental nesta partida e no campeonato inteiro. Vimos no jogo de ontem, nos dois primeiros sets jogamos muito bem no saque, conseguimos quebrar a equipe deles. E a partir do terceiro, foi a vez deles, o que acabou complicando para o nosso lado. Sabemos que o saque é um dos principais fundamentos para fazer a diferença", avaliou.

Depois de perder para o Brasil, a França se recuperou nesta sexta e bateu o Egito por 3 sets a 0, com parciais de 25/22, 25/23 e 25/16. O resultado levou a equipe à liderança provisória do Grupo B, com sete pontos em dois jogos, à frente de Canadá, com seis, e Brasil, com cinco, ambos com uma partida a menos.

Ainda nesta sexta pelo Grupo B, a Holanda venceu pela primeira vez ao fazer 3 sets a 1 na China, com parciais de 25/21, 25/13, 23/25 e 25/13. Pelo Grupo A, a Eslovênia bateu o Japão e a Argentina derrotou a República Dominicana. Na chave C, vitórias de Austrália e Rússia sobre Camarões e Tunísia, respectivamente. E no Grupo D, a Finlândia passou por Cuba, enquanto a Bulgária venceu Porto Rico.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM