Jornal do Commercio
NO JAPÃO

Brasil derrota a República Dominicana e vence a segunda no Mundial de Vôlei

Equipe brasileira venceu a partida por 3 sets a 0

Publicado em 30/09/2018, às 11h26

Time brasileiro venceu sem maiores dificuldades / Foto: Divulgação / FIVB
Time brasileiro venceu sem maiores dificuldades
Foto: Divulgação / FIVB
Estadão Conteúdo

Calmo, tranquilo e com um bloqueio forte e eficiente, o Brasil derrotou a República Dominicana com facilidade na madrugada deste domingo, por 3 sets a 0, com parciais de 25/15, 25/20 e 25/22, e chegou à segunda vitória seguida no Mundial de Vôlei.

Como também venceu Porto Rico por 3 sets a 0, a seleção brasileira segue sem perder sets e invicta na competição. O maior desafio desta primeira fase deve ser o próximo jogo, contra a Sérvia, uma das favoritas ao títulos. A partida será às 7h20 (de Brasília), desta segunda-feira.

Com seis pontos após os dois triunfos tranquilos sobre adversários caribenhos, as brasileiras lideram o grupo D do Mundial. As quatro melhores seleções passam à segunda fase e levam a pontuação conquistada até ali, daí a importância dos triunfos nesta fase inicial.

Dos fundamentos, o grande destaque foi o bloqueio, que rendeu 14 pontos para o Brasil na partida e ajudou a equipe brasileira especialmente no primeiro e no último sets. O saque também encaixou.

"Apresentamos uma dinâmica de jogo muito boa do primeiro set até quase o final do segundo quando encontramos um pouco mais de resistência. O terceiro set foi disputado ponto a ponto até o final. Estou vendo uma melhora na nossa velocidade, na dinâmica de jogo e no sistema defensivo. Tivemos uma quantidade de bloqueios importantes na partida e o nosso saque foi preciso", analisou o técnico José Roberto Guimarães.



Individualmente, o nome da partida foi a ponteira Gabi, que mostrou segurança no passe e foi decisiva no ataque. Ela marcou 15 pontos e foi a maior pontuadora da partida, seguida de Dandara, com 14, e Fernanda Garay, que anotou 11 pontos.

"Sabíamos que a República Dominicana viria com um ataque forte. O nosso volume de jogo se sobressaiu na partida de hoje. Conseguimos sacar bem e quebramos o passe delas. O nossa relação entre o bloqueio e a defesa foi eficiente e aproveitamos os contra-ataques", disse Gabi.

Com a ameaça de um furacão na região a Arena Hamamatsu, no Japão, ficou vazia e pouco torcedores viram o bom desempenho do Brasil. No primeiro set, as comandadas de José Roberto Guimarães demoraram um pouco para engrenar e viram as rivais abrirem vantagem. No entanto, o Brasil passou a encaixar os contra-ataques, passou na frente e fechou o set inicial em 25/15

A segunda parcial foi mais equilibrada, mas não a ponto de a República Dominicana oferecer risco à vitória das brasileiras, que seguraram a reação das rivais caribenhas, especialmente após a entrada de Peña, jogadora do Rio de Janeiro, mostraram força no ataque, e fecharam a parcial em 25/20.

Terceiro set acirrado

Sem muito a perder, as dominicanas, aguerridas, foram para o ataque no terceiro set e incomodaram, de modo que tomaram a frente do placar desde o início e chegaram a abrir 10/8. Diante da dificuldade, Zé Roberto apostou em Adenízia, que brilhou no bloqueio. A central, única das 14 jogadoras que não havia entrado em quadra na primeira partida, marcou o ponto de empate no 15/15 e, depois, colocou o Brasil na dianteira do placar. Depois disso, a seleção brasileira se impôs, emplacou cinco pontos seguidos e fechou o jogo, com a vitória no set final por 25/22.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM