Jornal do Commercio
Jogos Olímpicos

Vaticano cria Federação de Atletismo e sonha com Olimpíadas

A Federação e Atletismo do Vaticano conta com 60 membros

Publicado em 11/01/2019, às 09h57

Em um futuro imediato, a equipe de atletismo do Vaticano gostaria de poder participar de competições menores. / Foto: Pixabay
Em um futuro imediato, a equipe de atletismo do Vaticano gostaria de poder participar de competições menores.
Foto: Pixabay
AFP

Uma equipe de atletismo do Vaticano, que aspira a participar de competições internacionais, inclusive com as Olimpíadas, foi oficialmente lançada nesta quinta-feira (10), depois de alcançar um acordo com o Comitê Olímpico Italiano (CONI).

A Federação de Atletismo do Vaticano tem 60 membros, entre freiras, sacerdotes, membros da Guarda Suíça e outros funcionários.

O monsenhor Melchor José Sánchez de Toca y Alameda, presidente desta nova Federação, afirmou que disputar os Jogos Olímpicos é "um sonho, mas não a curto prazo".

"O sonho que com frequência temos tido é ver a bandeira da Santa Sé entre as das delegações na inauguração dos Jogos Olímpicos", afirmou.

Competições

Em um futuro imediato, a equipe de atletismo do Vaticano gostaria de poder participar de competições menores, como os Jogos Mediterrâneos.



O presidente do Comitê Olímpico Italiano (CONI), Giovanni Malago, destacou este novo passo esportivo do Vaticano, que já tem equipes de futebol e críquete.

O sinal verde do CONI permite à equipe vaticana participar de eventos nacionais e internacionais, além de ter acesso a técnicos nacionais italianos e facilidades médicas.

O atleta mais jovem da equipe vaticana é um guarda suíço de 19 anos e o mais idoso, um professor de 62 anos da Biblioteca Apostólica Vaticana.

Dois jovens refugiados muçulmanos - Jallow Buba, gambiano de 20 anos, e Anszou Cissé, senegalês de 19 - foram registrados como membros de honra.

A primeira competição da qual os atletas da equipe vaticana vão participar será a Corsa di Miguel, corrida de 10 km que lembrará, em 20 de janeiro, Miguel Sánchez, fundista argentino desaparecido em seu país na época da ditadura.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM