Jornal do Commercio
Notícia
Vôlei

Duplas brasileiras caem nas quartas e País dizem adeus para o título

Talita e Taiana, e Ágatha e Duda despendem-se da briga pelo título no do Circuito Mundial de Vôlei de Praia

Publicado em 18/05/2019, às 14h05

Vôlei feminino do Brasil não tem mais chances de título na etapa de Itapema (SC)  / Fotos Públicas
Vôlei feminino do Brasil não tem mais chances de título na etapa de Itapema (SC)
Fotos Públicas
JC Online

O Brasil não tem mais chances de título na etapa de Itapema (SC) do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Neste sábado, um dia depois de todas as duplas masculinas serem eliminadas, Ágatha/Duda e Talita/Taiana, únicas que estavam vivas entre as mulheres, se despediram da competição de nível quatro estrelas da temporada de 2019, que vale para a corrida olímpica brasileira para os Jogos de Tóquio-2020, ao serem superadas nas quartas de final.

Talita/Taiana foi a primeira dupla a entrar em quadra, encarando as holandesas Joy Stubbe/Van Iersel, que levaram a melhor por 2 sets a 0 (26/24 e 21/17). O quinto lugar rende 480 pontos no ranking e uma premiação de cerca de R$ 24 mil. Talita analisou o resultado, que mantém a dupla na segunda posição da corrida olímpica.

"O time da Holanda atuou melhor do que nós, as duas sacaram muito bem, a Van Iersel deu um show de defesas. Não conseguimos ajustar o nosso sistema defensivo, tivemos poucos bloqueios e defesas, isso foi o diferencial da partida. Agora é pensar no próximo torneio, estamos indo passo a passo. Ainda estou me adaptando ao retorno, só meu segundo torneio no Circuito Mundial desde que retomei a carreira. Estou feliz, conseguimos fazer bons jogos", disse.



Na sequência, Ágatha e Duda foram superadas de virada em duelo muito equilibrado, decidido apenas no terceiro set, para as norte-americanas April Ross e Alix Klineman por 2 a 1 (25/27, 21/18 e 15/13). Duda analisou o resultado e já projetou os próximos passos da equipe.

"O duelo contra April e Alix foi assim nas últimas oportunidades, decidido no tie-break, em placares muito apertados. Elas são um time muito bom, forte, temos que encontrar saídas. Estamos trabalhando, vamos estudar e procurar entender o que podemos melhorar. É assim que vamos crescendo, aprendendo com os erros. Vamos para a próxima, já pensar no torneio na China. São várias competições no ano e temos que olhar adiante", afirmou. O próximo desafio das equipes do Brasil é já nesta semana na etapa Jinjiang, em solo chinês.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM