Jornal do Commercio
Notícia
tênis

Rafael Nadal vence Thiem e levanta 12º troféu de Roland Garros

Rafael Nadal venceu pela segunda vez o austríaco Dominic Thiem na final de Roland Garros. Esta é a 12ª vez que o espanhol triunfa em Paris

Publicado em 09/06/2019, às 13h44

Nadal é o rei do saibro / Reprodução/Twitter
Nadal é o rei do saibro
Reprodução/Twitter
JC Online

Com a sua segunda vitória seguida sobre o austríaco Dominic Thiem na final de Roland Garros, Rafael Nadal conquistou neste domingo o seu 12º título do tradicional torneio francês e fez história em Paris. Ao bater o rival por 3 sets a 1, com parciais de 6/3, 5/7, 6/1 e 6/1, o tenista espanhol se tornou o maior vencedor de um único Grand Slam, entre homens e mulheres, e superou o recorde que ele dividia com a australiana Margareth Court-Smith, que ganhou por 11 vezes o Aberto da Austrália entre 1960 e 1973.

Esse também foi o 12º triunfo do atual vice-líder do ranking mundial em 12 decisões na capital francesa, onde anteriormente ele também ficou com a taça em 2005, 2006, 2007, 2008, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2017 e 2018. Com o feito obtido na França, Nadal também aumentou para 18 o seu número de títulos de Grand Slam, ficando apenas dois atrás do suíço Roger Federer, recordista de conquistas da série de quatro torneios mais importantes do tênis, dentro da qual o tenista da Espanha também ostenta três taças do US Open, duas de Wimbledon e uma do Aberto da Austrália.

O número 2 do mundo também passa a contabilizar 82 troféus de simples em sua carreira, sendo que esta foi a sua segunda taça obtida nesta temporada, na qual também se sagrou campeão do Masters 1000 de Roma. Já Thiem, que havia sido o algoz de Nadal nas semifinais do Torneio de Barcelona deste ano, desta vez não conseguiu superar o favoritismo do adversário e viu ser adiado de novo o sonho de conquistar o seu primeiro título de Grand Slam - no ano passado, o austríaco foi superado por 3 sets 0 pelo espanhol na decisão de Roland Garros.

O atual número 4 da ATP foi atropelado na decisão de 2018, mas o seu tênis evoluiu muito de lá para cá e desta vez ele jogou de igual para igual com Nadal. E isso mesmo depois de ter eliminado na véspera o sérvio Novak Djokovic, líder do ranking mundial, em uma desgastante semifinal de cinco sets que começou a ser realizada na sexta-feira e só terminou no sábado, devido às paralisações provocadas pela chuva no dia anterior. Assim, o espanhol chegou à decisão com uma boa vantagem física após despachar Federer na sexta com um tranquilo triunfo por 3 sets a 0.

O JOGO

Atuando diante do Rei do Saibro, Thiem iniciou a partida jogando em altíssimo nível e sem medo de encarar o rival colocando-se no fundo de quadra, em um tipo de disputa que o espanhol costuma ser dominante em quadras de terra batida. E já no quinto game do primeiro set ele conseguiu quebrar o saque do adversário. O inabalável Nadal, porém, já devolveu a quebra no sexto game e depois converteu um novo break point no oitavo antes de sacar para fechar a parcial em 6/3.

No segundo set, porém, Thiem seguiu exibindo uma grande atuação e, com 80% de aproveitamento dos pontos que disputou com o seu primeiro serviço, confirmou todos os seus saques sem oferecer nenhuma chance de quebra a Nadal. E o espanhol acabou servindo sob pressão no 12º game quando estava em desvantagem de 6/5 e cedeu dois break points ao seu rival, que aproveitou já o primeiro deles para fazer 7/5 e empatar o confronto.



O que poderia ser um prenúncio de uma virada, porém, não se confirmou. Nadal voltou para o terceiro set jogando como um rolo compressor. Quebrou o saque de Thiem logo no primeiro game e repetiu a quebra no terceiro para abrir 3 a 0. O austríaco só foi fazer o seu primeiro ponto no set no quarto game e acabou sendo atropelado ao ver o espanhol converter mais um break point e liquidar a parcial em 6/1, em apenas 24 minutos, e ficar mais perto do título.

A "montanha" que Thiem precisava escalar a partir dali era alta demais, mas já no primeiro game do quarto set ele conseguiu um break point no saque do espanhol. Porém, o favorito se salvou e confirmou o seu serviço. Mais desgastado do que o rival, o austríaco ficou em desvantagem de 15/40 no segundo game, acabou sofrendo nova quebra e viu o seu oponente abrir 2/0.

Thiem não desistia nunca e obteve dois break points no terceiro game com um belo golpe cruzado de esquerda. Mas Nadal se salvou por duas vezes com bons saques, que o austríaco devolveu na rede E novamente usando o serviço com eficiência, abriu 3/0 ao ir até a rede para matar o ponto com um voleio.

O espanhol não deixava o austríaco respirar e conseguiu três chances de quebra no quarto game, mas o seu rival se salvou com bons saques também e diminui a vantagem para 3/1. Entretanto, o vice-líder da ATP voltou a confirmar o seu serviço e colocou pressão de novo sobre o austríaco no sexto game. Com um erro cometido pelo rival do fundo de quadra e depois com uma bola na rede, Nadal teve dois break points e converteu o segundo ao contar com um novo golpe para fora do seu rival e abriu 5/1.

E, com o saque na mão, o Rei do Saibro liquidou a partida com tranquilidade. Conseguiu dois match points após novo outro erro de Thiem e desperdiçou o primeiro, mas depois o austríaco voltou a colocar uma bola para fora e o espanhol se jogou na quadra para comemorar o seu 18º Grand Slam, sendo o 12º apenas em Paris.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM