Jornal do Commercio
Análise
FÓRMULA 1

Fórmula 1 esquenta e revive tempos de polêmicas com Vettel e Hamilton

Punição contestada contra piloto da Ferrari reacendeu rivalidade no GP do Canadá

Publicado em 10/06/2019, às 14h30

Manobra de Vettel levantou debate entre pilotos, comentaristas e fãs da Fórmula 1 / Foto: Reprodução / Twitter / @F1
Manobra de Vettel levantou debate entre pilotos, comentaristas e fãs da Fórmula 1
Foto: Reprodução / Twitter / @F1
Diego Borges
Twitter: @DiBorges9

A Fórmula 1 voltou a viver dias de disputas e polêmicas mais acirradas no último fim de semana, no Grande Prêmio do Canadá, sétima etapa da temporada 2019. Lewis Hamilton venceu, apesar de cruzar a linha de chegada atrás de Sebastian Vettel, no que seria a primeira vitória da Ferrari no ano. Uma punição em 5s, no entanto, deu ao inglês o troféu de vencedor.

A decisão remeteu a situações vividas pela categoria nas décadas de 80 e 90, quando decisões das comissões de prova eram contestadas e geravam maior debate entre pilotos, comentaristas e, claro, fãs da F1. A situação deixou o alemão nada satisfeito. Muito pelo contrário. Vettel largou na pole position e guiou o carro à frente da prova o tempo todo, até ser atacado por Hamilton e falhar entre as curvas 3 e 4 do circuito de Montreal, durante a volta 48.

"Os comissários revisaram evidências de vídeo e determinaram que o carro 5 (Vettel), deixou a pista na curva 3, voltou à pista no turno 4 de maneira insegura e forçou o carro a sair da pista. Carro 44 (Hamilton) teve que tomar medidas evasivas para evitar uma colisão", diz a nota emitida pelos comissários da prova.

Vettel passeou na grama e fechou a passagem na retomada para o traçado. Sem espaço suficiente entre a Ferrari e o muro, Hamilton freou sua Mercedes para evitar colisão. A manobra do tetracampeão foi apontada como perigosa pela FIA, que adicionou 5 segundos no tempo final de prova do piloto alemão. "Infelizmente, esse não é o esporte pelo qual me apaixonei”, cravou Vettel ao fim da prova.

ASSISTA AO LANCE

A REVOLTA DE VETTEL

A insatisfação do piloto da Ferrari não acabaria por aí. Vettel ainda daria outras demonstrações de revolta com o resultado. Foi necessário que a equipe o convencesse de participar da cerimônia de premiação da corrida, como forma de evitar uma nova punição que poderia comprometer ainda a situação do alemão na briga pelo título. Só não impediram que o piloto invertesse as placas de 1° e 2° colocados com os carros estacionados.



Na entrega dos troféus, a insatisfação era evidente também para Hamilton. O piloto britânico declarou que "não era dessa forma que gostaria de vencer" e ainda trouxe Vettel para seu lado no degrau mais alto do pódio. Contido, Vettel recuou.

O PÓDIO

Com a vitória, Hamilton chegou à sua sétima no Canadá, igualando a Schumacher como maiores vencedores da história em GPs no país. Na classificação geral, o líder britânico chegou aos 162 pontos, abrindo 29 de vantagem para o companheiro de equipe e segundo lugar, Valtteri Bottas - que terminou a corrida em quarto -, além de 62 pontos para Vettel, que perdeu a chance de vencer a primeira no ano, justamente no fim de semana em que a Ferrari levou vantagem sobre a Mercedes, com Charles Leclerc completando o pódio me Montreal.

ITALIANOS VÃO RECORRER

Porém ainda existe uma esperança para a Ferrari. A equipe acenou que deve recorrer da punição à FIA. “No momento, nós, como equipe, estamos naturalmente desapontados, mas acima de tudo, nossos pensamentos são com Sebastian… Eu não acho que ele poderia ter feito as coisas de forma diferente, e é por isso que decidimos recorrer da decisão dos comissários", alega Mattia Binotto, engenheiro chefe de equipe da Ferrari.

"Desapontamento é um bom sinal para um piloto. Sebastian está com muita fome, todos nós estamos com fome e isso nos ajudará nas próximas corridas" completa.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM