Jornal do Commercio
Notícia
refeno

Humanáuticos querem expandir cultura náutica

O coletivo participa pela primeira vez da Refeno

Publicado em 09/10/2019, às 07h52

Sérvulo Paulo Chagas, Lisiane Marques e Thiago Marques embarcam com o comandante Cláudio Martins Neto (de camisa toda branca). / Foto: Tsuey Lan Bizzocchi/Cabanga
Sérvulo Paulo Chagas, Lisiane Marques e Thiago Marques embarcam com o comandante Cláudio Martins Neto (de camisa toda branca).
Foto: Tsuey Lan Bizzocchi/Cabanga
Karoline Albuquerque
Do Blog do Torcedor

A bordo da embarcação Denise III, um catamarã, o comandante Cláudio Martins Neto tem em sua tripulação um trio de estreantes para a 31ª Refeno. Profissionais da área de saúde, Sérvulo Paulo Chagas, Lisiane Marques e Thiago Marques representam o coletivo Humanáuticos, de Fortaleza, Ceará.

O interesse pelo mar veio primeiro pelo kite surfe. “Afinal, o Ceará é a terra dos ventos”, afirmou a farmacêutica Lisiane. Depois, a vela caiu no gosto do grupo, que enxergou nos esportes náuticos uma importante porta para a juventude. Atualmente, mais de 500 pessoas são atendidos por três projetos do Humanáuticos.

O coletivo tem como principal objetivo difundir e fomentar a cultura náutica entre jovens. Tudo por uma forte crença no fortalecimento de uma nova geração que vai cuidar do oceano, ter mais saúde, disposição e valores éticos.

Antes dos projetos, a vela não era vista como atraente ou acessível para a juventude, de acordo com o idealizador Sérvulo. Surfe, kite ou stand-up padle detinham mais interesse. Agora, o quadro no cenário da vela também é renovado no Ceará.



“Promover a cultura náutica é promover qualidade de vida, pensamentos mais sustentáveis, qualidade ambiental através do conhecimento com o oceano. É promover autoconhecimento também. É a promoção de saúde e cultura quando você faz um projeto de esportes voltado à juventude, principalmente no oceano”, destacou Sérvulo, que é psicólogo.

O idealizador do projeto é enfático ao destacar que “a vela ensina que o veleiro é uma escola”. Em sua opinião, a embarcação nunca está pronta. Atrelado ao entendimento do veleiro, há também a compreensão do comportamento humano no oceano.
“Você tem que trabalhar nele. Passar um bom tempo entendendo as funções, os vários equipamentos, se identificar com esse processo, que é também de autoconhecimento quando você está aberto e bem orientado”, explicou.

O trio de estreantes enxerga a Refeno como um privilégio. Principalmente, por representarem os projetos cearenses. As expectativas aumentam e geram uma ansiedade positiva para o dia 12 de outubro, na largada da regata até o arquipélago de Fernando de Noronha.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM