Jornal do Commercio
Série B

Santa Cruz: 'É possível jogar sem me machucar', diz Natan

Apresentado, meia do Santa já quer estrear na próxima sexta

Publicado em 20/09/2017, às 07h02

Jogador foi apresentado no Arruda na última terça (19) / Diego Toscano/Especial para o JC
Jogador foi apresentado no Arruda na última terça (19)
Diego Toscano/Especial para o JC
Diego Toscano
Twitter: @diegobmtoscano

Após três anos, Natan volta ao Santa Cruz com a expectativa de ser novamente o maestro da Cobra Coral, desta vez na Série B. Apresentado na última terça (19) no Arruda, falou sobre sua condição clínica, criticou “piadas” sobre lesões e afirmou que quer estrear já contra o Londrina, na sexta, pela 25ª rodada da Segundona.

VOLTA

Estou muito feliz de voltar a vestir essa camisa. Chego com a expectativa de ajudar o grupo a sair dessa situação e depois galgar novos objetivos na competição.

CUIABÁ

Fiz 14 partidas no ano. Joguei mais no primeiro semestre. Depois, com a troca de treinador e por uma lesão muscular na panturrilha, fiquei mais de fora

SANTA CRUZ

Foi onde vivi os momentos mais felizes da minha carreira. O Santa vinha numa situação muito complicada, na Série D, e a gente conseguiu ajudar o clube a voltar pra Série B, onde se encontra hoje. O clube melhorou bastante na questão da tecnologia, com acompanhamento dos atletas para prevenção de lesões. A maioria dos funcionários permanece e o ambiente de trabalho continua muito bom. Fui bem recebido por um grupo focado.



PARTE CLÍNICA

Saí do Santa Cruz no final de 2014 para o Criciúma. Sendo bem sincero, continuei me machucando lá durante o ano de 2015. Ano passado, com treinamento especial de três meses com um preparador físico, consegui ficar um ano e meio sem me machucar. Foi um recorde e isso me deixou muito feliz. Houve uma evolução. Vi que é possível jogar sem me machucar.

CRÍTICAS

Já tive a oportunidade ler algumas coisas, algumas chacotas. Se fosse o filho deles, iam fazer piadas desse tipo? Tento, mas nem sempre consigo, não me iludir com elogios ou me abater com críticas. Prefiro não ver muito (as redes sociais). Não é algo que quero (ter lesões). Tentei de tudo. Agora houve uma evolução e quero que, no futuro, não volte a ser perguntado sobre isso. Não porque me recusarei a responder, mas porque espero que isso não aconteça mais.

LONDRINA

Estou 100%. Fiquei alguns dias parado depois que o Cuiabá foi desclassificado (da Série C), mas vinha treinando normalmente. Vai depender do treinador e da preparação física, durante a semana, para saber se posso ir pro jogo ou não.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM