Jornal do Commercio
Arruda

Hericlis mira temporada melhor no Santa Cruz

Santa Cruz renovou contrato com Hericlis no começo deste ano

Publicado em 12/10/2018, às 09h14

Hericlis disputou 14 jogos e marcou 4 gols pelo Santa Cruz em 2018 / Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Hericlis disputou 14 jogos e marcou 4 gols pelo Santa Cruz em 2018
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Davi Saboya
Twitter: @davisaboya

O meia Hericlis vive grande expectativa em cima do próximo ano defendendo o Santa Cruz. De férias na cidade natal de Pirenópolis, em Goiás, ele está trabalhando o condicionamento para iniciar a pré-temporada em alta visando um melhor desempenho. Após começar 2018 como titular, o atleta passou um longo período no departamento médico, que o tirou de uma sequência positiva.

“Estamos esperando o dia da reapresentação, treinando, trabalhando a parte física para voltar em forma. Acho que será um ano de mais responsabilidade. Temos que conquistar títulos entre Estadual e Copa do Nordeste. O objetivo mais importante será o acesso para Série B”, afirmou o jogador coral.

Hericlis contou que não foi uma lesão no púbis que o deixou fora da segunda parte da temporada. E sim, duas hérnias. Com isso, o meia está sem dores e apto a jogo. “Está tudo tranquilo. Já operei, estou 100%. Era hérnia inguinal e umbilical, que refletia na região e achava que era o púbis. Só depois dos exames foi observado”, explicou.

Antes de se machucar, o jogador disputou 14 partidas pelo Santa Cruz e marcou 4 gols. Hericlis chegou como meia no Arruda, mas diante da carência de um centroavante, o técnico Júnior Rocha, no começo deste ano, o improvisou como “falso nove”. Posição que ele rendeu e não descarta atuar nela na próxima temporada.

“Estou à disposição para ajudar e fazer as duas funções, se precisar. Não tenho prioridade em nenhuma posição. É o que todo jogador quer, jogar e ser titular da equipe”, comentou o atleta tricolor.



Hericlis renovou o contrato com o Santa Cruz até o fim de 2019 ainda no começo deste ano. Além dele, outros três jogadores acabou a temporada com o contrato renovado: Danny Morais, Charles e Augusto. Nesse período de inatividade, a direção coral correu contra o tempo e também acertou a permanência do goleiro Ricardo Ernesto, o volante Eduardo, os meias Jeremias e Geovani, e o atacante e artilheiro Pipico.

Para o meia, atitude importante da cúpula de futebol manter uma espinha dorsal. “É muito importante. Sempre bom seguir com uma base e não começar do zero. Já existe um certo entrosamento”, destacou.

2018

Aos 22 anos, o jogador não escondeu a decepção pelo fato da temporada não ter acabado tão boa quanto começou. Na maior chance da carreira, Hericlis acredita que pode voar mais alto com o Santa Cruz. Ele ainda revelou que estava à disposição para o último jogo contra o Operário pelas quartas de final da Série C.

“Comecei muito bem e estava dando tudo certo, fazendo gols. Acho que tudo é no tempo certo. Às vezes, tem algo maior planejado. Claro que a gente lamenta. Estava apto para a decisão contra o Operário, mas o treinador optou por não me levar. Fiquei chateado porque queria o acesso”, finalizou.


Palavras-chave


Comentários

Por roberto,12/10/2018

tô vendo a hora fechar as portas. lnfelizmente !!!

Por roberto,12/10/2018

fecha as portas.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM