Jornal do Commercio
Análise
Série C

Técnico do Santa Cruz critica atuação do árbitro

Santa Cruz empatou por 3x3 com o Sampaio Corrêa dentro do Arruda

Publicado em 18/05/2019, às 21h04

Leston Júnior tem 48,88% de aproveitamento sob o comando do Santa Cruz / Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leston Júnior tem 48,88% de aproveitamento sob o comando do Santa Cruz
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Davi Saboya
Twitter: @davisaboya

Apesar de reconhecer a necessidade do Santa Cruz corrigir os erros, o técnico Leston Júnior não gostou de fato do desempenho do árbitro Alinor Silva da Paixão, do Mato Grosso. Na visão dele, os corais foram prejudicados no primeiro e terceiro gol, além do lance da expulsão do lateral-esquerdo Carlos Renato no último minuto do confronto. Há cinco partidas sem sentir o sabor da vitória, o comandante tem 48,88% de aproveitamento em 30 jogos.

“Um embate que existe a necessidade grande de vencer, você sofre gol de pênalti que não foi, pois a bola bateu na barriga do Carlos Renato. Depois no terceiro gol deles, o jogador domina com a mão. Isso sem falar do impedimento. No final, ainda teve o lance da falta e pênalti em cima do Carlos Renato. Dedé o derruba dentro da grande área. O juiz não marca e ainda expulsa”, desabafou.

Leston ressaltou o desempenho do setor ofensivo, no entanto, seguiu na bronca com o juiz do duelo. “Claro que isso não apaga os nossos erros. Lamentamos muito pelo fato de fazer três gols, em um jogo que precisávamos dessa agressividade, e ter sofrido os gols da forma que aconteceu. Um pênalti inexistente e uma falta, que também estava em posição irregular, no outro lance”, disse.



O técnico tricolor classificou como um problema nacional os erros com arbitragem. “Isso é uma falha do futebol brasileiro. Porque o árbitro pega o avião, volta para casa, e os profissionais que aqui trabalham arcam com o prejuízo. Agora temos que corrigir os erros e torcer para não sermos prejudicados”, comentou.

AMBIENTE

O comandante do Santa ainda frisou que o triunfo em cima do Sampaio Corrêa era um desejo comum para melhorar o clima no Arruda durante a próxima semana de trabalho. Ele reconheceu que o time tricolor precisa melhorar. Porém, justificou que nos últimos dias não teve tempo para treinar, ao contrário, do que terá antes de enfrentar o ABC pela 5ª rodada.

“Só a partir da próxima semana teremos mais tempo para trabalhar. Lamentamos essa derrota para poder ganhar mais tranquilidade. Numa sequência dessa, ninguém vai focar o erro da arbitragem”, finalizou.


Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM