Jornal do Commercio
Tricolor

No Santa Cruz, técnico buscará ter trabalho de maior duração

Problemas internos com elenco e funcionários sempre minaram os trabalhos realizados por Milton Mendes, por conta de seu temperamento

Publicado em 21/05/2019, às 15h03

Treinador fez bom trabalho no Tricolor em 2016, mas saiu com relatos de desavenças dentro do clube / Foto: Léo Motta/JC Imagem
Treinador fez bom trabalho no Tricolor em 2016, mas saiu com relatos de desavenças dentro do clube
Foto: Léo Motta/JC Imagem
Klisman Gama
Twitter: @KlismanGama

Técnico com boas ideias e bom trabalho dentro das quatro linhas. Times adaptáveis ao adversário, com variações de jogo e uma largada muito boa em seu início de trabalho. Além disso, capacitado em cursos da UEFA. Que Milton Mendes tem  muito conhecimento sobre futebol, é inegável. Porém, traços de sua personalidade acabaram ainda travando um maior crescimento do técnico na sua carreira. Polêmico e “linha-dura”, ele teve várias desavenças com jogadores, funcionários de clubes e, após a passagem pelo Vasco, em 2017 - primeiro trabalho após sair do Santa Cruz -, Milton fez uma auto-avaliação.

OUÇA O COMENTÁRIO DE RALPH DE CARVALHO SOBRE MILTON MENDES

PERÍODO ENTRE AS DUAS PASSAGENS PELO TRICOLOR

Quando treinou o Vasco, ele conseguiu o título da Taça Rio e engatou uma sequência de bons jogos no Estadual. Depois, a oscilação começou e ele, aos poucos, foi perdendo o comando do elenco. Entre eles, o afastamento de líderes e importantes jogadores, como o meia Nenê - principal nome do grupo vascaíno - e o zagueiro Rodrigo. Este último se tornou desafeto do técnico. Saiu do clube carioca e, defendendo a Ponte Preta, chegou a agredir o treinador com empurrões em confronto contra o Cruzmaltino em Campinas.

Roteiro semelhante a suas passagens em outros clubes. No Santa Cruz, em 2016, depois de um grande começo, conquistando os títulos da Copa do Nordeste e do Campeonato Pernambucano, e liderando a Série A por duas rodadas, aconteceu a derrocada. O comandante passou a ter desavenças internas com jogadores e funcionários, e a alegação na época era a maneira ríspida com a qual ele tratava as pessoas. Ele se envolveu em uma agressão a um auxiliar técnico do Bahia, Eduardo Souza, na semifinal do Nordestão.



No Sport, em 2018, Milton chegou na tentativa de salvar o Leão do iminente rebaixamento. Não conseguiu, mas mostrou um estilo já diferente da sua última passagem por Pernambuco. O treinador reconheceu que procurou ajuda profissional para encontrar esses problemas no seu comportamento para melhorar. E neste segundo trabalho pelo Recife, mesmo com o tempo curto no Rubro-negro, demonstrou uma aparente melhora. Se isso será realmente mantido, ou se foi um caso à parte, será possível avaliar com mais profundidade na missão de levar o Santa Cruz para a Série B.

Histórico de Milton Mendes nos seus últimos trabalhos:

Santa Cruz (2016): 32 jogos, 12 vitórias, nove empates e 11 derrotas. 46,8% de aproveitamento;

Vasco (2017): 28 jogos, 11 vitórias, 6 empates e 11 derrotas. 46,4% de aproveitamento;

Sport (2018): 12 jogos, cinco vitórias, três empates e quatro derrotas. 50% de aproveitamento.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM