Jornal do Commercio
Notícia
série c

Técnico do Santa Cruz diz que pênalti não definiu empate

Milton Mendes comentou o empate tricolor com o Botafogo-PB

Publicado em 14/07/2019, às 21h23

Em campo, Milton Mendes ficou revoltado com o pênalti não marcado.  / Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Em campo, Milton Mendes ficou revoltado com o pênalti não marcado.
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Karoline Albuquerque
Do Blog do Torcedor

Em campo, o técnico Milton Mendes ficou revoltado com a não marcação de um possível pênalti em Misael, no segundo tempo do empate entre Santa Cruz e Botafogo-PB. Depois da partida desse domingo, o treinador amenizou o tom e destacou que esse não foi o motivo do empate dentro do estádio do Arruda.

“Aquilo em Misael é pênalti, tocado por trás. O outro pênalti fica a duvida. Na hora achei que tinha sido mão. Mas é difícil também para os árbitros quando não tem a possibilidade de rever o lance, de falar com o seu assistente. Já disse e acho que árbitros dessa divisão precisam ser mais ajudados e porque não a divisão em si ser ajudada”, disse Milton.

Esse auxílio aos árbitros citado pelo técnico era, ao menos, um intercomunicador entre o trio. “Por isso empatamos? Não. Mas é uma possibilidade de abertura de conversação para outros seguimentos. A Série C precisa ser melhor vista. Não pode ser uma série em que o árbitro é castigado por errar acima. Tem que trabalhar com rigor, critério, exigências. Como nós também”, emendou.

Quanto ao seu time, o comandante coral fez elogios e parabenizou os jogadores. Mas, pela situação do gramado após as fortes chuvas do no Recife, o futebol apresentado foi diferente do programado. Com o campo molhado, foi difícil tentar jogadas mais elaboradas, mesmo com o Santa Cruz colocando mais a bola no chão. Também destacando o bom desempenho do Botafogo-PB no segundo tempo.



“Nós não deixamos de tentar, lutamos muito. Acredito que em outras condições do gramado, nós teríamos vencido o jogo. Seria muito injusto por tudo o que fizemos no jogo. No primeiro tempo, eles não tiverem uma oportunidade sequer. A não ser bolas longas. No segundo tempo, uma triangulação pelo lado esquerdo deles e o gol. Não vi mais nada”, comentou.

Sem vencer há três jogos, sendo os dois últimos dentro de casa, Milton Mendes afirmou ainda que seus adversários chegaram no Arruda para defender. “Como diz em Portugal, colocaram o autocarro. O ônibus na frente do gol para não deixar ninguém entrar”, ponderou.

Agora, o técnico tricolor destaca que é preciso lidar com isso. “Parabenizo meus jogadores. Vocês (imprensa) poderão ter a opinião de vocês e o torcedor também. Vimos o descontentamento que é natural. Mas volto a dizer que não é como começa, é como acaba. Jogar em casa muitas vezes nas condições do campo de hoje é pior do que jogar fora”, concluiu.

Além deste jogo, outras duas partidas aconteceram no domingo. O Treze perdeu em casa por 2x1 para o Imperatriz, enquanto o Sampaio Corrêa venceu o Globo por 2x0. 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM