Jornal do Commercio
Notícia
Tricolor

Itamar Schulle projeta correções no Santa Cruz e avalia improvisações

Treinador comentou sobre a atuação no amistoso contra o Campinense

Publicado em 14/01/2020, às 10h13

Treinador cobrou, novamente, a chegada de reforços / Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Treinador cobrou, novamente, a chegada de reforços
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Klisman Gama
Twitter: @KlismanGama

O Santa Cruz ficou no empate com o Campinense nessa segunda-feira (13) e apresentou alguns pontos interessantes para a comissão técnica. Porém, a falta de criação ainda tem sido um calo da equipe coral, que não conta com um meia com tais características desde o afastamento de Didira para resolver problemas particulares. Assim, o treinador coral avalia situações em que o elenco pode melhorar e corrigir deficiências para ter um bom aproveitamento nas partidas.

“Tudo se melhora. Não é porque perdeu que tudo está horrível, e porque venceu que está ótimo. Precisamos evoluir. Ter a permanência da bola no meio, encurtar a frente. Pipico e Mayco terem mais aproximação, chegada, prenderem e ficar com a bola. Temos que jogar e não sermos atacados. Isso vem muito não só do trabalho, mas envolve característica do atleta. Quem sabe jogar de costas, quem não sabe recebe a bola de frente. Muitas vezes melhorar a parte física, treina a técnica. Mas tem jogadores que são habituados a jogar de frente, por mais que ele tente, treine, e às vezes vai se pegar uma situação dele que não está habituado com aquilo. Pode até trabalhar, mas não é com um mês que consegue isso”, contou Itamar Schulle.



SEM REFORÇOS, PRECISOU IMPROVISAR

A chegada de novos atletas é uma questão muito importante na continuidade do trabalho do treinador. Ele tem batido na tecla e cobrado a chegada de reforços, ao mesmo tempo que ressalta o trabalho que a direção do Santa Cruz tem feito. No amistoso, ele realizou várias trocas na equipe, mas precisou improvisar no segundo tempo, principalmente na defesa, em que entraram os zagueiros Ítalo Melo e Feliphe Gabriel para fazer a função de lateral-direito e esquerdo, respectivamente. Não só a chegada de novos nomes é pedida, mas que atendam os requisitos que Itamar Schulle procura para ter o elenco o mais próximo do que ele considera ideal.

“Vão chegar atletas, eles vão dar isso que precisamos e teremos opções para não improvisar. No ataque e na defesa. Ao tirar o Fabiano tive que colocar um zagueiro (Feliphe Gabriel). O Santa não pode improvisar. Se der errado, vai sobrar para o treinador. Foi a necessidade. Sei a dificuldade de disputar o Campeonato Pernambucano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil, que cheguei entre os 16 melhores com Botafogo-PB, eliminado pelo Palmeiras, Série C. Precisamos evoluir no trabalho e na vinda dos atletas. Com perfil e qualidade para termos um grupo coeso, eficiente, alicerçado com a base. Primeiro temos de ter quem resolva para eles darem continuidade. É um cuidado que temos junto com direção para o Santa ter mais qualidade”, encerrou.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM