Jornal do Commercio
Copa do Brasil

Thiago Gomes se despede do Sport irritado com alguns atletas

Em sua última partida como técnico interino, gaúcho criticou atuação do time

Publicado em 28/04/2016, às 22h10

Thiago Gomes permanece na Ilha como assistente-técnico até o fim do Pernambucano / JC Imagem
Thiago Gomes permanece na Ilha como assistente-técnico até o fim do Pernambucano
JC Imagem
Alexandre Arditti
Twitter: @alearditti

Em sua despedida como técnico interino do Sport (fica na Ilha como assistente até o fim do Pernambucano), o gaúcho Thiago Gomes deixou o campo irritado com a apresentação do time e com a atuação individual de alguns atletas na derrota por 2x1 para a Aparecidense, nesta quinta-feira (28), na Ilha do Retiro. O resultado selou a eliminação dos rubro-negros na primeira fase da Copa do Brasil.  

“Não gostei nada, nada (da partida). Entramos em casa para buscar a vitória. Sei da prioridade da diretoria. Mas atuando na Ilha do Retiro temos que respeitar a história do clube. Temos que colocar a cara no chão. Tivemos atletas que honraram a camisa do Sport, outros não”, disse Thiago Gomes, sem citar nominalmente aqueles que o desapontaram. “Saio realmente irritado com algumas coisas que aconteceram dentro de campo. A torcida está completamente correta (em vaiar a equipe)”, completou. 



Thiago Gomes disse que, a partir desta sexta, vai começar a repassar ao treinador Oswaldo de Oliveira e aos integrantes da nova comissão técnica informações sobre o elenco. “Primeiro, vou entregar um relatório individual, técnico e tático de cada um. Estou à disposição para repassar qualquer informação”, afirmou o assistente-técnico, que chegou ao Sport em agosto do ano passado, junto com o ex-técnico Paulo Roberto Falcão. Como interino, se despede com um saldo de duas derrotas e uma vitória.

Único dos tidos titulares do time para o Brasileirão em campo nesta quinta, o meia Diego Souza reconheceu que o Sport precisa melhorar. “Sabemos que era um treino de luxo. Mas vestimos a camisa do Sport e não podemos ser como fomos. Precisamos melhorar”, cravou.



Comentários

Por Karl Clemens Hirschle Filho,29/04/2016

bem interessante o desabafo do interino, ora se tem peladeiro que só quer biritar e receber seu salário, bota para treinar junto as categorias de base, são funcionários do clube e recebem muito bem e em dia,se não querem nada, tira do elenco e coloca para treinar na base. se achar ruim que peça para sair. esperemos que o sr Oswaldo traga profissionais para o elenco e principalmente, afaste os peladeiros e biriteiros que, além de envergonhar o clube, contaminam aos outros que querem um lugar ao sol. estou esperando para dar um sonoro TCHAU QUERIDAS, a pelo menos uns 6 destes biriteiros. VAMOS PARAR DE ELOGIAR E VAMOS COBRAR DESTE PELADEIROS, SE NÃO FUTEBOL (PARECE QUE NÃO TEM), PELO MENOS DIGNIDADE AO VESTIR A CAMISA DO SPORT. BOM DIA A TODOS.

Por Bigode,28/04/2016

Você está certo Thiago, enquanto quem montar o time for os cartolas estaremos nessa situação vergonhosa. Se montar um time só com a base, jogaria melhor que com certos titulares que estão ai.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM