Jornal do Commercio
DECEPÇÃO DA TORCIDA

Com recorde de público na Arena, Sport perde para o Palmeiras

Nem os 42.025 foram suficientes para que o Sport conseguisse a vitória na Série A

Publicado em 23/07/2017, às 17h58

Com dois gols no primeiro tempo, Sport foi derrotado por 2x0 / Bobby Fabisak/JC Imagem
Com dois gols no primeiro tempo, Sport foi derrotado por 2x0
Bobby Fabisak/JC Imagem
FELIPE HOLANDA
Twitter: @f_holanda1

Nem mesmo os 42.025 torcedores do Sport presentes na Arena de Pernambuco foram suficientes para que o Leão conseguisse a vitória. Jogando mal, o rubro-negro não foi páreo para o Palmeiras e acabou sendo derrotado por 2x0 neste domingo (23/7), pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols palmeirenses foram assinalados por Bruno Henrique e Keno, ex-Santa Cruz.

Com a derrota, o Sport caiu provisoriamente para a sexta posição na tabela, enquanto o Palmeiras subiu uma posição e agora é quinto. Próximo domingo (30), o Leão encara o Bahia na fonte nova.

>> Luxemburgo elogia atuação do Palmeiras

>> 'Nada deu certo', diz Rithely

Mesmo jogando como mandante, o Sport começou o jogo encurralado na defesa. Observando a indecisão do adversário, o Palmeiras partiu para o ataque. Podia, inclusive, ter aberto o placar logo aos quatro minutos. Jean avançou pela direita, entrou na grande área e bateu firme. A bola parou na rede pelo lado de fora da meta leonina. O mesmo Jean, na sequência, teve nova oportunidade, mas finalizou para fora.

Enxergando o Palmeiras gostar do jogo, Luxemburgo pediu mais ímpeto ao Sport. Deu resultado. Após cobrança de escanteio de Everton Felipe, o zagueiro Ronaldo Alves completou para o gol e quase abriu o placar. A bola passou perto da meta palmeirense. Em seguida, novamente de cabeça, foi a vez de Diego Souza levar perigo. A tentativa saiu por cima do travessão alviverde. No lance, o camisa 87 se chocou com o zagueiro Luan e precisou de atendimento médico.

Com mais presença no ataque, o Sport conseguiu equilibrar o jogo. Precisava, no entanto, de mais capricho nas finalizações. E foi o Palmeiras quem conseguiu tirar o zero placar. Egídio cobrou escanteio da direita, Bruno Henrique mergulhou de peixinho na primeira trave e cabeceou de costas. A bola encobriu Agenor e ultrapassou a última linha antes que Ronaldo Alves pudesse fazer o corte: 1x0 Verdão.

Em desvantagem, o Sport correu atrás do prejuízo. E quase deixou tudo igual em outra jogada de bola área. Depois de escanteio, Diego Souza desviou de cabeça e por pouco não deixou o dele. A bola bateu na rede, mas pelo lado de fora. Mas o Palmeiras foi letal no contragolpe. Bruno Henrique lançou Keno e o atacante, ex-Santa Cruz, tocou na saída de Agenor para fazer o segundo.



Na etapa final, o Sport voltou disposto a mudar o panorama do jogo. Para isso, precisava se lançar ao ataque. Foi o que aconteceu. Everton Felipe cobrou falta fechada e André chegou para cabecear, mas Jaílson fez a defesa. Foi o primeiro chute a gol do Leão na partida.

A primeira grande chance do Sport, contudo, veio dos pés de seu principal jogador: Diego Souza. O camisa 87, que reencontrou o Palmeiras após a "novela", cobrou falta com categoria e a bola, caprichosamente, parou no travessão de Jaílson. No rebote, André tentou de cabeça, mas mandou por cima.

Das arquibancadas, o torcedor do Sport não conseguia esconder o nervosismo, o que acabou refletindo na equipe dentro de campo. Enquanto o Palmeiras marcava forte, os leoninos iam perdendo a paciência. O alviverde, que não tinha nada com isso, seguiu agredindo. Keno, que já havia feito o segundo, quase fez mais um. Ele finalizou duas vezes e só não marcou porque Agenor fez duas grandes defesas.

Do outro lado, o Sport ainda tentou responder. André e Diego Souza até criaram jogadas, mas o ataque acabou esbarrando na marcação do Palmeiras. Resultado: derrota por 2x0 para o alviverde.

FICHA DO JOGO

SPORT
Agenor; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Sander (Rogério); Rithely (Thallyson), Partrick e Diego Souza; Mena, Everton Felipe (Thomás) e André. Técnico: Vandelei Luxemburgo. 

PALMEIRAS
Jailson; Mayke, Luan, Juninho e Egídio; Thiago Santos, Bruno Henrique, Erik (Raphael Veiga), Jean (Zé Roberto) e Keno (Roger Guedes); Deyverson. Técnico: Cuca.

Local: Arena de Pernambuco. Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO). Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Cristhian Passos Sorence (GO). Gols: Bruno Henrique, aos 33 do 1º tempo. Keno aos 47 do 1º tempo. Amarelos: Juninho (P). André, Rithely e Diego Souza (P). Público: 42.025 Renda: R$ 848,307.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM