Jornal do Commercio
REDUÇÃO

Folha salarial do elenco do Sport em 2018 será de R$ 3,4 milhões

Diretoria rubro-negra fará um corte de 25% da folha do departamento de futebol em relação ao ano passado

Publicado em 11/01/2018, às 08h46

Arnaldo Barros conseguiu que o orçamento financeiro do Sport fosse aprovado pelo conselho / Foto: JC Imagem
Arnaldo Barros conseguiu que o orçamento financeiro do Sport fosse aprovado pelo conselho
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Além de o presidente Arnaldo Barros conseguir equalizar o déficit de R$ 15 milhões que foi apresentado na primeira previsão orçamentária - através das recentes negociações de atletas feitas pela diretoria -, outro fator que tranquilizou o Conselho Deliberativo quanto à saúde financeira do Sport foi que a diretoria rubro-negra decretou uma redução considerável da folha salarial do elenco.

Na reunião com os conselheiros, na última terça-feira, Arnaldo Barros frisou que pretende trabalhar com a folha do futebol em R$ 3,4 milhões, o que representa um corte de 25% em comparação com a temporada 2017 (antes era de R$ 4,2 milhões).

Nessa janela de negociação, por exemplo, a direção leonina se desfez de alguns atletas que tinham salários bem elevados, caso dos atacantes Osvaldo e Marquinhos, e do volante Wesley (todos recebiam próximo de R$ 200 mil), além do meia-atacante Diego Souza (então maior vencimento do elenco).



ORÇAMENTO

A primeira previsão orçamentária que foi entregue pelo executivo, ainda no ano passado, apresentava um déficit de R$ 15 milhões e foi prontamente rejeitada pelo CD. Porém, desta vez, o mandatário rubro-negro conseguiu a aceitação do planejamento financeiro com a justificativa de que as transações dos direitos de Diego Souza (R$ 10 milhões) e Régis (R$ 1 milhão), além da possibilidade real de negociar Rithely, cobririam o déficit.

“A primeira proposta orçamentária de 2018 foi apresenta há um mês. De lá pra cá tiveram as vendas de alguns jogadores. O presidente (Arnaldo Barros) detalhou todos os assuntos e ficou claro que as receitas com essas vendas de atletas, que são ativos positivos do clube, cobririam com folga o déficit que estava em aberto e, com isso, tudo resolvido e orçamento aprovado”, disse Homero Lacerda, presidente do Conselho Deliberativo do Sport. Ele adiantou que também foi acatado que, caso precise, o executivo poderá pedir a antecipação de 20% das cotas de TV.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM