Jornal do Commercio
ANÁLISE

Zagueiro do Sport analisa o Estadual de PE e vê semelhança com Gauchão

Léo Ortiz acredita que os dois Estaduais são bem parecidos tecnicamente

Publicado em 10/02/2018, às 14h12

Léo Ortiz ganhou a titularidade na zaga do Sport / Foto: Williams Aguiar/ Sport
Léo Ortiz ganhou a titularidade na zaga do Sport
Foto: Williams Aguiar/ Sport
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Defendendo a segunda equipe na carreira - a primeira foi o Internacional -, Léo Ortiz ainda está ganhando cancha como profissional. Mesmo com os seus 22 anos, o zagueiro já adquiriu uma certa experiência e admite que o Estadual de Pernambuco se assemelha bastante ao que disputou em Porto Alegre, na temporada passada.

"A questão dos adversários que enfrentamos aqui é um pouco parecido com o Gauchão. Jogo pegado, com os times menores jogando fechado, por uma bola. Muito parecido os dois Estaduais que joguei", contou Léo Ortiz, que também fez um paralelo com a situação precária dos estádios interioranos. "Tem a questão do gramado nos jogos fora de casa. Complica um pouco. Por isso é preciso um pouco mais de atenção e inteligência para jogar. Não dá para sair jogando pelo meio toda hora. É um jogo diferente", explicou o defensor do Sport.



EM CASA

O zagueiro rubro-negro, por sinal, ainda não disputou nenhuma partida na Ilha do Retiro - a única experiência foi durante 15 minutos, contra o Atlético Tucumán, pela Taça Ariano Suassuna. "Contra o Tucumán só foi uma adaptação. Quero jogar na Ilha, com o campo bom e que podemos sair jogando e dominar o jogo... Nos impondo", frisou Ortiz.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM