Jornal do Commercio
BALANÇO FINANCEIRO

Sport: balanço 2017 revela déficit de R$ 18 milhões e queda de receita

O estudo financeiro do Leão ainda aponta um aumento do passivo geral do clube de quase R$ 60 milhões

Publicado em 17/04/2018, às 07h22

Arnaldo Barros foi procurado pelo JC, mas disse, através da assessoria, que esses assuntos serão tratados dentro do clube / Foto: Williams Aguiar/ Sport
Arnaldo Barros foi procurado pelo JC, mas disse, através da assessoria, que esses assuntos serão tratados dentro do clube
Foto: Williams Aguiar/ Sport
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Não é só dentro de campo que o Sport vem sofrendo sucessivos reveses. Administrativamente, o Leão tem apresentando números negativos bastante alarmantes. A reportagem do Jornal do Commercio obteve acesso ao balanço financeiro do clube em 2017 - que tem de ser divulgado até o final desse mês - e pôde constatar uma queda de 19% da receita em comparação com 2016, um déficit (receita x despesa) anual de R$ 18.313.641,14 e, para piorar, o passivo geral do clube teve um aumento de quase R$ 60 milhões.

O presidente do Conselho Deliberativo do Sport, Homero Lacerda, confirmou a veracidade do documento obtido pelo JC e se mostrou bastante preocupado com o grave relatório financeiro do clube. “Esses números do balanço procedem. São extremamente preocupantes. É uma decepção porque o Sport vinha num equilíbrio financeiro muito grande e, agora, aparece esse rombo”, declarou.

Confira a entrevista com Homero Lacerda:

Procurado pela reportagem do JC, o presidente Arnaldo Barros respondeu através da assessoria de comunicação que “assuntos internos do clube devem ser tratados internamente na Ilha do Retiro. E que todas as explicações e justificativas serão concedidas na reunião do Conselho Deliberativo, no próximo dia 24”.

Se em 2016 o Sport teve uma arrecadação recorde de receita (R$ 129.596.886,00), no ano passado o clube apresentou uma queda de faturamento de R$ 24.125.140,00. “A diminuição de receita é consequência do rendimento do futebol. É decepcionante. Não ganha nada há anos. Na última temporada, por exemplo, os resultados em campo foram calamitosos. Tudo é consequência do desmantelo financeiro”, disse Homero.



 

Com o clube gastando (R$ 123.785.387,00) mais do que conseguia arrecadar (R$ 105.471.746,00), uma hora a conta iria chegar. Tanto que, na reta final do Brasileirão de 2017, o elenco rubro-negro passou a conviver com os atrasos salariais. “Os jogadores chegaram a se negarem a entrar em campo para jogar no ano passado. Tudo em consequência da situação financeira do clube. Isso afeta no futebol. E o futebol mal, as finanças só pioram”, explicou Homero. “Arnaldo não pode mais comprometer o Sport financeiramente, pois isso pode ter consequência nos próximos dez anos. Basta ver os nossos coirmãos Náutico e Santa Cruz, que estão na Terceira Divisão. É preciso manter os pés no chão para não inviabilizar o clube administrativamente em um futuro próximo”.

EX-PRESIDENTES

Com a caixa preta da administração da atual gestão do Sport, aos poucos, sendo aberta, alguns líderes políticos do clube externaram temor quanto ao futuro do Leão. “A situação do Sport é constrangedora. É uma situação que deixa toda nação rubro-negra preocupada. Como pode em tão pouco tempo o clube entrar em um tsunami financeiro? Acabaram com o clube administrativamente. Isso vai provocar um reflexo não só agora, mas nos próximos anos. Todo o trabalho para conseguir equilibrar as contas foi por água abaixo”, lamentou Wanderson Lacerda.

Para o também ex-presidente leonino, Luciano Bivar, a diretoria executiva não pode fazer loucuras no futebol para tentar amenizar a crise interna. “O problema do Sport é grande, mas tem como resolver. Só não pode agravar mais. O resultado de campo é normal: ora se ganha, ora se perde. Sendo que o futuro do clube não pode mais ser comprometido com uma gestão que só quer soerguer dentro do campo de jogo e acentuar ainda mais os problemas. Por isso que estamos extremamente preocupados. Arnaldo (Barros) precisa entender que as coisas dentro do clube precisam ser modificadas”.

 


Recomendados para você


Comentários

Por FERNANDO A R SOUZA,17/04/2018

Excelente comentário de Sergio Dias. Ação imediata para afastar essa Diretoria desastrosa e incompetente, auditar minuciosamente a gestão e denunciar judicialmente todos os desmandos praticados por essa caótica administração. Que o Conselho e os ex-presidentes se unam e assumam tais tarefas!

Por Sidney,17/04/2018

Já era!!! Esse ano não escapa do rebaixamento!!!!

Por J Cunha,17/04/2018

Esse vazamento de informações foi o homero que vazou, ele é feito urubu, quando as coisas ficam ruins, ele se aproveita, como os outros ex-presidentes, tudo de olho nas próximas eleições. Só uma pergunta para a "emprensa" pernambucana, o export recife de vcs tão elogiados, como exemplo de administração, tá quebrado?

Por Souza,17/04/2018

Kkkkkkkkkkkkkkkkkk, time de 8º divisão. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Por Vitorio,17/04/2018

Esse problema já foi ventilado há algum tempo, com a falta de governança por parte da antiga gestão, e com a atual, tem se tornado pior ainda o problema. A pergunta que devemos fazer é: A atual gestão tem capacidade gerencial para alavancar as finanças? E o atual mandatário tem condições pessoais para assumir o erro? As respostas não são difíceis de serem respondidas. O caminho, todos sabem onde chegaremos, basta ver as situações de naútico e santa. Pra sair de um atoleiro desses, o custo é bastante alto para um clube do NE. Então, é parar a sangria agora, pensar como gestor, elenco caro não se mantêm num clube da região, é a realidade não adianta mentir. A estratégia de repatriação de jogador seja de fora, seja do eixo Sul-Sudeste é um risco desnecessário. É fazermos o que os times de São Paulo Rio e Minas fazem, trazer promessas de times menores daqui mesmo do NE, com baixos salários. Onde foi parar o cérebro desses dirigentes?



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe
As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus
O JC preparou um hotsite especial em homenagem ao ator e diretor Jose Pimentel, o eterno Jesus Cristo do teatro pernambucano
Nordeste Renovável Nordeste Renovável
Com a força dos ventos e a incidência solar, o Nordeste desponta como oásis. Não só para o turismo, nem apenas no Litoral. Na geração de energia sustentável está a nova fonte de riqueza da Região, principalmente no interior

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM