Jornal do Commercio
SÉRIE A

Jogadores acreditam que o Sport poderia ter saído com os três pontos

As melhores chances da partida estiveram nos pés de Rogério

Publicado em 13/06/2018, às 21h48

Sport ficou no 0x0 com o Grêmio, na Ilha do Retiro / Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Sport ficou no 0x0 com o Grêmio, na Ilha do Retiro
Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Com dois tempos distintos, o Sport teve dificuldade no primeiro tempo, mas acabou melhorando na etapa complementar. Mesmo com o crescimento da performance no decorrer do duelo e de ter tido as melhores oportunidades, o Leão não conseguiu bater o Grêmio e ficou no empate. Os jogadores rubro-negros ao invés de lamentar preferiram valorizar o ponto conquistado.

"O Grêmio é um time grande, independente da escalação com algumas alterações é uma equipe bem armada. As opções que entraram foram bem. Jogamos de igual para igual com eles, conseguimos propor o jogo, com ímpeto forte, mas infelizmente não conseguimos os três pontos. Pelo menos mantivemos a invencibilidade em casa", comemorou o zagueiro Ernando.



As melhores chances da partida estiveram nos pés de Rogério. "A gente jogou bastante. Tivemos algumas oportunidades, principalmente comigo. Creio que naquele lance (que ele ficou cara-cara com Marcelo Grohe) foi pênalti, mas o juiz não deu. Temos de ajustar algumas coisas nessa parada da Copa do Mundo para continuar tendo um bom desempenho em campo como tivemos até agora"

MICHEL BASTOS

Acionado na etapa complementar pela sexta vez desde que chegou ao Sport, o meia-atacante Michel Bastos, que ainda não iniciou nenhuma partida com a camisa rubro-negra, mudou a dinâmica do jogo e ficou satisfeito com o seu rendimento em campo. "Minha função é fazer gols ou dar oportunidade para meus companheiros marcar. Acho que fiz isso", falou o camisa 9. "Fiquei feliz com o meu desempenho. Venho trabalhando no dia-dia e mostrando que tenho condições de estar jogando. É difícil conseguir mostrar tudo o que posso render com pouco tempo de jogo. Agora é descansar e voltar após a Copa do Mundo tendo mais tempo de jogo".





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM