Jornal do Commercio
Defesa

Magrão lamenta alto número de gols sofridos e pede providências para 2019

'Não é comum o Sport passar por isso três anos seguidos', afirmou goleiro

Publicado em 12/09/2018, às 19h05

Goleiro também não se isentou da culpa por mau momento da defesa / Diego Nigro/JC Imagem
Goleiro também não se isentou da culpa por mau momento da defesa
Diego Nigro/JC Imagem
Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Pelo terceira vez seguida, a defesa do Sport sofre na temporada. Em 2016, foram 80 gols sofridos em 67 jogos. No último ano, 99 tentos sofridos após 80 partidas. Agora, até setembro, o clube sofreu mais do que marcou gols: 47x44. Para o goleiro Magrão, hora de repensar, em todos os níveis, as estratégias usadas em 2018 para não se repetir no próximo ano.

"Em relação aos números, é algo que tem que pensar urgentemente para a próxima temporada. Não é comum o Sport passar por isso três anos seguidos, beirando ao rebaixamento. Então, quem é responsável, e tem gente aqui para isso, para a próxima temporada, tem que rever isso e fazer um trabalho diferente. São uma série de erros que acarretaram nesses últimos anos passando por isso", afirmou o goleiro.



"TODOS TEM CULPA"

Mesmo salvando a equipe em várias oportunidades, inclusive no último sábado (8), quando defendeu pênalti do Cruzeiro no final do segundo tempo, Magrão também não se escondeu do atual momento da defesa rubro-negra. "Todos tem culpa. Não me isento também. Não é porque fiz algumas defesas que me isento da culpa de ter sofrido tantos gols. Acho que vai muito mais além disso, de algumas coisas que cabem a diretoria fazer", finalizou o goleiro.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM