Jornal do Commercio
Defesa

Magrão lamenta alto número de gols sofridos e pede providências para 2019

'Não é comum o Sport passar por isso três anos seguidos', afirmou goleiro

Publicado em 12/09/2018, às 19h05

Goleiro também não se isentou da culpa por mau momento da defesa / Diego Nigro/JC Imagem
Goleiro também não se isentou da culpa por mau momento da defesa
Diego Nigro/JC Imagem
Diego Toscano
Twitter: @diegotoscanoo

Pelo terceira vez seguida, a defesa do Sport sofre na temporada. Em 2016, foram 80 gols sofridos em 67 jogos. No último ano, 99 tentos sofridos após 80 partidas. Agora, até setembro, o clube sofreu mais do que marcou gols: 47x44. Para o goleiro Magrão, hora de repensar, em todos os níveis, as estratégias usadas em 2018 para não se repetir no próximo ano.

"Em relação aos números, é algo que tem que pensar urgentemente para a próxima temporada. Não é comum o Sport passar por isso três anos seguidos, beirando ao rebaixamento. Então, quem é responsável, e tem gente aqui para isso, para a próxima temporada, tem que rever isso e fazer um trabalho diferente. São uma série de erros que acarretaram nesses últimos anos passando por isso", afirmou o goleiro.



"TODOS TEM CULPA"

Mesmo salvando a equipe em várias oportunidades, inclusive no último sábado (8), quando defendeu pênalti do Cruzeiro no final do segundo tempo, Magrão também não se escondeu do atual momento da defesa rubro-negra. "Todos tem culpa. Não me isento também. Não é porque fiz algumas defesas que me isento da culpa de ter sofrido tantos gols. Acho que vai muito mais além disso, de algumas coisas que cabem a diretoria fazer", finalizou o goleiro.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM