Jornal do Commercio
TITULAR

'Sou chorão. Mas vou chorar de felicidade ao tirar o Sport do Z-4', diz volante

Fellipe Bastos se emocionou após a vitória diante do Internacional

Publicado em 12/10/2018, às 08h02

Volante Fellipe Bastos (C) será titular diante do Atlético-PR / Foto: JC Imagem
Volante Fellipe Bastos (C) será titular diante do Atlético-PR
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Após um mês amargando o banco de reservas e, em alguns jogos, nem sendo relacionado para as partidas, Fellipe Bastos vai voltar a ser titular do Sport na partida diante do Atlético-PR, domingo, às 19h, na Arena da Baixada, pela 29ª rodada da Série A. E, na última vez que o volante foi titular, o Leão acabou vencendo o Paraná por 1x0, na Ilha do Retiro, no dia 2 de setembro. Porém, as boas lembranças do camisa 5 nesse seu retorno ao time vão além... E chegam no seu único gol com a camisa rubro-negra, contra o próprio Furacão, no primeiro turno do Brasileirão.

“Essa semana me lembraram isso (o gol contra o Atlético-PR). É muito importante a gente lembrar de coisas boas e momentos felizes que vivemos. Sempre é bom recordar esses bons jogos do Sport. Ainda mais que esse foi o meu único gol pelo time e foi um golaço. Nada melhor do que relembrar”, falou Fellipe Bastos, que ainda recordou de outra coincidência. “Até brinquei com o Evandro que o único jogo dele no Brasileirão foi justamente contra o Atlético-PR. E vencemos. Vai que as coisas estão começando a conspirar ao nosso favor”, pontuou.

Assim como Michel Bastos, o volante também chegou a ser afastado pela antiga direção de futebol do clube no mês passado e confessa não saber o motivo. “Sempre trabalhei muito, respeitei os meus companheiros, a diretoria e os funcionários. Nunca desrespeitei ninguém. Isso foi uma coisa que nunca aconteceu antes na minha carreira (afastamento). Mas passou. Isso me fortaleceu. Cresci muito com essa situação. Eu e Michel somos queridos pelo grupo e só fez aumentar a vontade de ajudar o Sport”, comentou Fellipe.



LADO EMOTIVO

Após a vitória contra o Internacional, na última rodada, o técnico Milton Mendes fez questão de destacar na coletiva a entrega do volante, que foi o responsável por roubar a bola que originou o segundo gol leonino, além de ter impedido a cobrança de falta do lateral Fabiano passar pela barreira no último lance da partida.

“Entrei com o jogo empatado e consegui roubar a bola que o Michel pegou e deu o passe para o segundo gol. Me emocionei ao final do jogo. Passou um filme na minha cabeça desse mês conturbado. Estava emocionado. Ainda mais por saber que os nossos companheiros pediram a nossa volta (Fellipe e Michel). Chorei muito o vestiário. Sou chorão mesmo. Mas a partir de agora quero chorar de felicidade ao tirar o Sport dessa situação e alcançar o objetivo de sair da zona do rebaixamento”, desejou o volante.

Com a auto-estima elevada, sobra motivação para entrar em campo. “Quero muito jogar. Pareço um garoto da base que está subindo pela primeira vez e querendo mostrar serviço. Orei muito nesse período (de afastamento), conversei com a minha família, esposa, amigos... Que eu trabalharia forte para voltar melhor ainda. Sempre respeitando as decisões do treinador. Volto mais forte do que antes.”





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM