Jornal do Commercio
Pernambuco

Técnicos da nova safra investem em capacitação

Comandantes da base de Sport, Náutico e Santa Cruz investem no conhecimento

Publicado em 21/10/2018, às 08h12

Júnior Câmara é o comandantes dos aspirantes leoninos / Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Júnior Câmara é o comandantes dos aspirantes leoninos
Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Diego Borges
Twitter: @diborges9

A evolução do futebol de base em Pernambuco passa diretamente por quem tem o dever de formar atletas. E no caso dos comandantes da base dos três grandes clubes do Recife, esse trabalho passa por um processo que envolve diretamente a especialização, com cursos promovidos pela CBF.

É o caso de Dudu Capixaba, hoje auxiliar técnico do profissional do Náutico. Ele chegou a comandar o elenco em dois jogos. “Estudei e me capacitei em cursos como os da CBF e outros dentro e fora do País. Procuro visitar clubes. O que é de melhor, vamos botando em prática”, destaca, ressaltando também o aprendizado com os demais treinadores. “Desde quando iniciei minha carreira dentro do Náutico, trabalhei com vários: Sergio (China) no Salgueiro, Dal Pozzo, Gallo, Givanildo, Roberto Fernandes e Márcio Goiano.”

Já o técnico do sub-20 e sub-23 do Santa Cruz, Rômulo Pereira, acredita que é preciso aproveitar ex-jogadores na comissão técnica, desde que também haja capacitação. “Não podemos esquecer o treinador que foi ex-jogador. Tem espaço para todo mundo. Entendo e acredito que é possível alinhar a experiência do futebol com a área acadêmica. Hoje, as comissões do sub-20 estão alinhadas nisso. Tenho ex-atletas na minha comissão”, afirma.



EXPERIÊNCIA

Formado e pós-graduado em educação física, Júnior Câmara trabalhou em todas as categorias de formação do Sport, desde o futsal até atingir o sub-23. Além do trabalho de formação dos atletas, Júnior entende que os técnicos também precisam ter poder de decisão estratégica na organização dos torneios.

“Proponho mudar o formato das competições. Ser 90% em pontos corridos e 10% em mata-mata, para vivenciar o formato, que também é importante. Mas a competição poderia ser regionalizada e até três divisões. Seriam torneios de custo baixo, em distâncias que poderiam ser percorridas de ônibus. E no final do ano, como prêmio, um mata-mata entre as regiões”, afirma antes de justificar. “Temos uma Copa do Brasil que você pode cair no primeiro jogo. A Copa São Paulo, se perder um jogo está quase fora. Como forma jogador em um ambiente desses?”




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM